Construção e reforma

Custos –> Casa com telhado ou Casa sem telhado

por Mariana Lombardi - 06 de fevereiro de 2012

Como arquitetas, realizamos os mais diversos tipos de projetos, mas não é nossa especialidade fiscalizar e acompanhar obras – o que pode ser feito por arquitetos, mas não é o nosso caso. Assim, temos uma noção dos custos dos materiais e da mão-de-obra, mas muitas vezes não conseguimos responder com precisão aos nossos leitores. Então decidimos convidar o engenheiro Almir filho para nos ajudar com esse post, já que ele executa muitas obras (principalmente casas) aqui em Brasília.

Casa com telhado ou casa sem telhado? Essa é a primeira dúvida de quem decide construir. É uma questão estética, mas que direciona todo o projeto da casa. Nos diversos posts sobre fachadas explicamos um pouco sobre cada estilo, leia com atenção e decida qual o seu preferido. Veja aqui várias ideias de fachada.

Qual o custo de cada tipo de telhado? É a segunda grande dúvida! Em resumo, a casa com telhado embutido sai mais barata do que a casa com telhado aparente.

A casa com telhado aparente tem o estilo mais conhecido e também o mais usado. O que interfere no custo, e o deixa mais elevado, é o tipo de telha (barro, cerâmica, concreto), o madeiramento (ipê, angelim) e a mão-de-obra. Hoje, é muito comum o uso de beiral (como na casa do foto acima) e ele pode ser de concreto ou madeira –  o que também aumenta o preço final.

Esses dois cortes esquemáticos servem para mostrar como funciona a estrutura de um telhado com telha cerâmica ou de barro. Na opção de telhado sem beiral, ainda assim pode ter uma calha.

A inclinação deve ser de no mínimo 28% para que o escoamento da água funcione sem problemas. Lembre-se: diferentes tipos de telhas têm diferentes inclinações, veja a especificação correta com o fabricante.

Atualmente, o tipo de telha mais usada para este tipo de telhado é a telha cerâmica, particularmente prefiro as de tons mais claros, como o cinza e o bege.

A casa sem telhado pode ser feita de duas maneiras: com telha embutida ou com placas de concreto pré-moldadas. Existem diferenças de preços entre os dois métodos, e o com telha de amianto embutida é a opção mais barata.

Antes de construir um telhado feito com telha ondulada de amianto (ou fibro-cimento), avalie alguns pontos negativos: as telhas são frágeis e quebram com facilidade; a tração térmica é grande e em cidades com grandes oscilações de temperatura as rachaduas são frequentes; a absorção de calor é pequena; e o fator ecológico: a extração do amianto pode provocar sérios danos aos pulmões é até câncer, por isso já foi proibido em vários países.

Um outro método, mais atual e muito usado pelos arquitetos, é o telhado embutido feito com placas pré-moldadas de concreto (veja o esqueminha acima), onde são feitos vários processos de impermeabilização até garantir o funcionamento perfeito desta estrutura.

Dentre as vantagens – fora tudo o que já falei sobre o outro médoto ali em cima – estão o custo menor que o da casa com telhado aparente e, comparado com o método da telha de amianto, a diminuição da altura da platibanda, o que dá mais liberdade para o desenho da fachada – e os arquitetos adoram! 😉

Gostaram? Deixem suas dúvidas nos comentários que aos poucos vamos preparar novos posts!

.

 + projetos de casas aqui

.

Comente Aqui (144)

Importante: cuidados ao reformar

por Cris Campos - 30 de janeiro de 2012

A tragédia do desabamento de 3 edifícios, que aconteceu semana passada no Rio, deixou vários mortos, muita tristeza, e um importante alerta: são cada vez mais comuns as reformas realizadas sem a contratação de profissionais qualificados, colocando muita gente em risco.

Sabemos que a maioria dos nossos leitores fará ou está fazendo algum tipo de obra, e por isso nos sentimos na obrigação de orientá-los sobre cuidados essenciais para uma reforma segura.

A estrutura de uma edificação convencional é formada por fundação, pilares, vigas e lajes, todos interligados. Em uma reforma de apartamento ou edifício, esses 4 elementos não podem ser alterados ou removidos em nenhuma hipótese*, porque podem comprometer todo o edifício. Em alguns casos, principalmente em prédios antigos, algumas paredes são estruturais, ou seja, também participam da sustentação do peso do edifício e não podem ser alteradas, nem para a passagem de instalações.

*Se se tratar da reforma de uma casa ou outra edificação de pequeno porte, um engenheiro pode orientar sobre a reforços estruturais, que em alguns casos podem permitir pequenas alterações na estrutura.

Muita gente acha que pequenas reformas em apartamentos ou escritórios não necessitam de orientação profissional, ou acham que não contratá-los significa economizar. Isso é um erro grave, que pode comprometer a segurança e também o orçamento. Eu gosto de fazer a seguinte comparação: se você precisasse fazer uma cirurgia, procuraria um bom médico ou se contentaria com um auxiliar de enfermagem? A reforma de um imóvel deve seguir o mesmo raciocínio!

Cada profissional tem a sua função, e um trabalho conjunto é o primeiro passo para um bom resultado. O planejamento da obra é o primeiro passo: qualquer mudança na planta de um imóvel, deve ser elaborada por um arquiteto, que vai analisar todos os elementos do imóvel para sugerir as mudanças possíveis dentro dos desejos e do orçamento do cliente.

Se a reforma exigir qualquer tipo de ampliação ou acréscimo de peso, a estrutura existente deve ser analisada para saber se suporta a alteração. É o caso das mudanças de parede, instalação de banheiras… Para isso, deve ser contratado um engenheiro. Esse profissional também vai orientar as mudanças nas instalações, como o acréscimo de carga elétrica, aumento da caixa d’agua…

Um arquiteto ou engenheiro também deve ser responsável pela execução da obra. Ele pode ser contratado apenas para orientar o mestre de obras, em reformas mais simples, ou então pode coordenar todo o processo junto aos demais profissionais envolvidos.

Não dispense a ART – Anotação de Responsabilidade Técnica junto ao CREA, e o registro da obra no órgão competente da sua cidade. Só assim você poderá responsabilizar o profissional responsável por eventuais defeitos ou erros técnicos.

Rachaduras (principalmente em diagonal) estalos, infiltrações ou descolamentos de revestimentos podem indicar problemas estruturais. Se notar qualquer alteração no seu imóvel, procure urgentemente um engenheiro ou o CREA da sua cidade!

>>>> No Fantástico de ontem passou uma reportagem bem interessante sobre os possíveis riscos de uma reforma em edifícios, assista AQUI!

+ dicas para planejar a obra aqui

Comente Aqui (5)

Fachadas de casas térreas

por Cris Campos - 02 de dezembro de 2011

Desde quando publicamos aqui o primeiro post sobre fachada de casas, muita gente pediu exemplos para fachdas de casas térreas. Como explicamos nesse primeiro post, é um desafio encontrar boas fotos de casas pequenas, e dessa vez não foi diferente. Mas com muita pesquisa consegui selecionar alguns lindos exemplos de casas térreas “sem telhado”.

Nem todas as casas selecionadas são pequenas, mas é interessante observar como a volumetria de cada fachada foi trabalhada para que não ficasse parecendo um “caixote” pesado e sem graça.

N◦1 – Casa bem moderna, com madeira nas esquadrias e nos revestimentos da estrutura. A platibanda aqui existe, mas fica recuada em relação à laje, que avança formando uma varanda. Foto: Meu moleskine digital.

N◦2 – Essa fachada bem simples e toda aberta favorece a integração com a área externa, reforçada pela parede revestida com pedra filetada, que avança para o interior. Projeto: Studio AZ. / Foto: Haruo Mikami.

N◦3 – Essa casa bem minimalista tem a fachada pensada como uma caixa, elevada no terreno, e com grandes esquadrias, que propiciam aberturas enormes e muita integração.  Projeto: Pedro Reis. Foto: ArkPad.

N◦4 – Casa com estrutura metálica, bem leve, e “paredes” de vidro. Tanto o forro quanto o piso permanecem no mesmo nível dentro e fora da casa. Gosto demais desse efeito, que propicia uma maior integração e muita leveza. Essa é a casa da estilista Vera Wang, foto: Petiscos.

N◦5 – Nessa fachada a parede lateral e o volume da caixa d`água receberam pintura bege texturizada e com frisos, quebrando a monotonia do branco total. Vale observar também que, ao invés de muro ou cerca, foi escolhido o vidro temperado para proteger a casa. Projeto: Christina Prado. Foto: Clausem Bonifácio.

N◦6 – As coberturas em níveis diferentes foram unificados pela parede revestida em pedras que atravessa a casa. Gosto muito do portão e da porta de entrada, parece aço corten. Projeto: Leo Romano. Foto: Edgard Cesar.

N◦7 – Essa casa mescla volumes fechados e abertos, partes bem leves com volumes mais pesados e vários materiais como aço, concreto, pedra, madeira e vidro. Tudo isso torna o desenho rico e interessante. Gosto muito do beiral com partes fechadas e outras abertas, formando pergolados. Projeto: Brian Dillard Arch. Fotos: Contemporist.

N◦8 – Essa casa tem o mesmo pricípio das N◦3 e 4, um volume fechado em volta e grandes esquadrias de vidro. O diferencial é a cor inusitada: cinza, e o grande pilar redondo em aço inox. Projeto: 123DV. Foto: Trendir.

N◦9 – Já mostramos essa fachada no post sobre aço corten. Era o Espaço Gourmet de uma Casa Cor, mas ideia pode ser tranquilamente usada em uma casa: estrutura chanfrada branca, porta grande de madeira e um volume destacado em aço corten.  Projeto: Cybele Barbosa. / Foto: Haruo Mikami.

N◦10 – Fachada de madeira e vidro, com platibanda recuada escondendo o telhado. Fotos: Contemporist.

+ fachadas de casas aqui

Comente Aqui (45)