Arquitetura Moderna

Museu Guggenheim NY

por Cris Campos - 09 de dezembro de 2010

Nós já falamos sobre museus aqui no blog e um dos que eu mais tinha vontade de conhecer quando fosse a Nova York, era o Museu Guggenheim, tanto por seu acervo, formado por importantes obras de arte, quanto pelo edifício, uma obra prima da arquitetura moderna. E realmente sua arquitetura é  impressionante, com suas curvas fluidas, a grande clarabóia central, e os pavimentos em forma de rampa, que nos convidam a caminhar por entre as exposições.

O museu foi criado e fundado por Solomon Robert Guggenheim, que imaginava um edifício capaz de abrigar as grandes transformações que a arte moderna representava e que fosse diferente de qualquer outro museu existente. Para isso, o arquiteto escolhido foi Frank Lloyd Wright, um dos arquitetos mais importantes do século XX. E apesar de ter sido inaugurado em 1959, é uma construção super atual.

O edifício é formado por planos ou camadas que dão a impressão de flutuar umas sobre as outras, mas na verdade é o formato de uma sutil espiral, e os planos formam uma rampa única, fluida e contínua.  A principal característica da obra são as formas puras e orgânicas, que dão unidade à obra estando presentes em várias partes e definindo espaços e fluxos.

A enorme clarabóia central forma um desenho lindo e proporciona uma iluminação natural difusa no átrio do museu. O edifício possui ainda clarabóias secundárias, formadas pelas divisões entre os planos. A iluminação proveniente delas favorece a circulação, mas não ilumina as obras de arte, que necessitam de uma iluminação própria que as destaque sem danificá-las.

Para quem gosta de arte e arquitetura, esse é um programa imperdível em Nova York. Além da arquitetura magnífica, estão expostas lá obras de grandes nomes do século 19 até os dias de hoje, como Chagall, Kandinsky, Paul Klee, Miró, Picasso, Van Gogh, entre outros. O museu não é muito grande, dá pra ver tudo em uma hora e a localização é privilegiada, na 5ª avenida com a rua 89, bem em frente ao Lago Jackeline Onassis no Central Park.

Fonte de pesquisa: Wikipédia. / Fotos: connectin.com, google images.

Veja mais no site do museu.

  • Museu Guggenheim – 1071 Fifth Avenue (at 89th Street) New York, NY.
Comente Aqui (2)

Casa em Londrina

por Cris Campos - 04 de julho de 2010

Uma casa com ambientes amplos e confortáveis para receber a família, de fácil circulação e fácil manutenção foi o pedido dos donos dessa casa para o projeto do arquiteto Guilherme Torres. Casados a 50 anos, eles saíram de um apartamento para construir essa casa linda de 407m², localizada num terreno de 1050m², em Londrina-PR. A casa, de arquitetura moderna, é formada por 2 blocos que se cruzam formando um “T”, com os ambientes integrados a um amplo pátio, que abriga a piscina e recebe o sol da manhã.

A fachada principal da casa é bem minimalista e não possui janelas voltadas para a rua para garantir privacidade. Os 2 volumes que compõem a arquitetura da casa ficaram bem destacados com o acabamento em materiais diferentes, um com pintura marrom, o outro, revestido em placas cimentícias. A madeira cumaru, no portão da garagem, faz um contraponto.

O marrom da fachada (Suvinil  R167) foi inspirado, segundo o arquiteto, num bolo de chocolate servido pela moradora. A textura por baixo foi feita na obra, onde o emboço das paredes foi chapiscado com cimento, e alisado levemente com desempenadeira. A cor envolve todo o volume e entra pela sala de jantar, que recebeu uma decoração linda, bem moderna, com o predomínio dos móveis e adornos brancos, que criam um contraste super interessante com a parede. O quadro branco, parece que foi feito especialmente para essa parede!O piso foi revestido com as mesmas placas cimentícias que revestem a fachada. A pouca variedade de materiais reforça a integração é uma característica típica das casas modernas, que pedem espaços com pouca informação visual.

A porta principal tem 4,50 x 2 m, e foi executada em estrutura metálica e vidro temperado serigrafado preto. Os ambientes recebem luz natural, que foi bem estudada pelo arquiteto. A sala de estar, e o corredor de circulação aos quartos, cuja fachada recebe muito sol, não receberam janelas, mas um domo disfarçado por uma moldura de gesso acartonado, que deixa a luz do sol passar, mas sem excesso.Um jardim interno, cercado por painéis de vidro, traz claridade para o banheiro. Nele, a bancada fica integrada ao quarto, enquanto a área de banho fica preservada. Outro jardim  fica na entrada da cozinha e permite que ela seja vista da sala de estar. Com visual minimalista, ele é composto apenas do bambu e do piso em pedriscos.

A sala de estar é o ambiente mais aconchegante da casa, com um sofá enooooooorme. Possui o piso e um das paredes revestidos em réguas de cumaru de 10cm de largura. A outra parede é revestida com as mesmas placas cimentícias usadas na fachada. Essa continuidade reforça a amplitude e a unidade dos espaços.

A integração entre a sala e o pátio externo é feita por meio de nove portas de alumínio, com 4,50 x 1 m cada uma. Os quartos, que também são voltados para o pátio, são fechados com amplas portas de cumaru, ao invés de paredes. A piscina é em formato de raia, com 16m de comprimento, e foi revestida com pastilhas de vidro preto, ficando mais disfarçada em meio a arquitetura da casa, com aspecto de espelho d’água. Apesar disso, ela é muito usada pelos netos e pela dona da casa, que nada nela diariamente. Ao fundo, parte do muro recebeu pintura preta, com a intenção de disfarçar a construção vizinha.

A churrasqueira, embutida na parede e executada internamente com chapas de aço inox, foi instalada dentro da sala de jantar, já que a idéia era integrar bem os ambientes. Ali ficam também o bar e uma bancada de silestone com pia, cooktop, adega e minigeladeira. A cozinha, não muito grande, é bem funcional. Uma ilha central de silestone recebe a pia e o fogão cooktop e na parede lateral  ficam os volumes grandes, como a geladeira e a torre do forno. As duas portas de correr, uma que abre para a sala e outra para a despensa, são em madeira cumaru.

A planta da casa é bem funcional, com espaços amplos e disposto de acordo com o sol, resultado em conforto térmico e luminoso nos ambientes, que são integrados e práticos.

Fotos: site Casa

* Aqui tem o perfil do arquiteto Guilherme Torres.

+ projetos de casas / + fachadas

Comente Aqui (10)