simetria

Sala linda (4)

por Mariana Lombardi - 18 de outubro de 2011

Esta Sala de Estar é um projeto da Casa Cor Brasília 2011, que foi pensado para receber com conforto e elegância, com os acabamentos em tons de bege + preto + madeira.

O espaço foi dividido em três ambientes, separados por estantes de madeira vazadas. No cantinho do bate-papo o destaque é a parede revestida em pedra vulcânica cor ferrugem. Na frente, grandes cachepôs de madeira com plantas artificiais que parecem de verdade!

Ao fundo, as persianas de madeira com acabamento em preto piano, lindas! O espelho colado na parede dá a impressão de continuidade das persianas, ótimo recurso para ampliar ambientes.

No estar principal, a cortina chama a atenção: feita em linho bege escuro, tem um barrado em seda da mesma cor – detalhe lindo que fez a diferença! Sem falar na iluminação embutida no cortineiro que deixou o espaço super agradável.

No meio do ambiente tem uma grande lareira feita em mármore travertino romano bruto, mesmo material usado em alguns pedaços do piso. Duas poltronas de fibra com design de Guto Índio da Costa servem de apoio.

As luminárias do Tom Dixon são um sucesso! Apareceram em vários ambientes da Casa Cor, quase sempre usadas em grupos, todas iguais ou peças diferentes – como aqui neste caso.

No terceiro ambiente da sala, percebe-se a simetria, ou seja, a repetição de alguns elementos presentes no primeiro ambiente, como a parede trabalhada em pedra, os cachepôs em madeira e as persianas pretas.

Projeto Larissa Dias. Fotos Clausen Bonifácio.

+ Casa Cor Brasília 2011

Comente Aqui (1)

Salas com simetria

por Cris Campos - 05 de maio de 2010

Selecionamos aqui algumas salas de estar para inspirar! O que elas têm em comum e as fazem parecer tão agradáveis? A simetria!

É um conceito muito explorado na decoração, com a finalidade de obter equilíbrio. Consiste, basicamente, na distribuição equilibrada de elementos a partir de um eixo. O resultado são ambientes harmoniosos e aconchegantes, que provocam uma sensação visual muito agradável.

Na prática funciona assim: a partir de um eixo definido, trabalha-se a repetição de móveis ou outros elementos decorativos nos dois lados, sempre buscando o equilíbrio. Sem uma grande diversidade de elementos e informações, o olhar descansa e a sensação é de relaxamento. Mas para que o resultado não seja monótono, outros elementos devem ser considerados, como cores, texturas, tecidos e a composição das formas entre si.

Neste ambiente, o conceito foi levado ao pé da letra. O sofá é o eixo central, já as poltronas, mesas de centro e canto e os pufes são iguais e foram dispostos de forma totalmente simétrica. Ambiente de André Piva para a Mostra Artefacto 2008.

Este é outro ângulo da mesma sala de André Piva. Repare que no lado oposto do sofá o eixo de simetria se manteve, tendo ao centro uma mesa, com estantes e chaise idênticas nas laterais. Tapetes enormes emolduram os ambientes. Aliás, eu adooooro essa chaise de madeira da Artefacto!

A arquiteta Débora Aguiar costuma explorar muito bem a simetria para deixar os ambientes mais aconchegantes. Nesse ambiente da Casa Cor São Paulo 2009, uma parede solta bem ao centro, cercada por esquadrias de vidro, marca o eixo central, direcionando a posição do sofá e do quadro, ao redor dos quais os outros móveis estão dispostos. As mesas de centro reforçam a sensação, mas para quebrar um pouco a repetição, de um lado foram usadas duas poltronas e do outro uma chaise em couro marrom. A disposição dos objetos decorativos nas mesas de centro também servem para dar movimento.

Este é outro ângulo da mesma sala. A simetria aqui está nos painéis de madeira que marcam o espelho central, sendo também o eixo da mesa de jantar. Dois arranjos iguais sobre a mesa reforçam a ideia. Projeto Débora Aguiar.

É claro que quanto mais espaço, mas fácil trabalhar a simetria. Como são peças grandes, dois sofás iguais sempre marcam bastante o conceito, como nessa foto. Eles formam dois ambientes, mas a simetria unifica, e faz com que pareça um só, assim como o enorme tapete que une os dois. No lado oposto, duas chaise com baús ao centro. As mesas de centro também se repetem. Gesso e iluminação acompanham o lay out. Projeto Maithiá Guedes e Cláudio Solferini para a Casa Cor São Paulo 2009.

Nesse ambiente também foram usados dois sofás idênticos, desta vez frente a frente. As chaises ao centro também se repetem. Esse formato de sala favorece muito a conversa, já que a maioria das pessoas pode se sentar frente a frente. Quadros e luminárias fortalecem o conceito. Projeto Zoe Gardini.

Mais um exemplo do uso de sofás idênticos frente a frente. Nas laterais as poltronas são diferentes, mas há simetria nas suas posições. Tendo como eixo central a porta de correr, dois enormes espelhos na laterias destacam as medidas simétricas. A sala de jantar acompanha o mesmo eixo, e dessa forma têm se uma visão completa da mesa, lustre e quadro bem ao centro. Projeto de Roberto Migotto.

Também projetada por Roberto Migotto, o eixo dessa sala é uma parede entre esquadrias idênticas. Isso mostra que muitas vezes o que determina se o ambiente pode ou não ser simétrico é a concepção do espaço ainda na fase de projeto. O arquiteto tomou partido desse eixo que a sala já possuía para dispor os móveis. Sofás iguais, poltronas iguais e ao centro a mesa, aparador, quadro, luminárias e o banco, em primeiro plano na foto. É uma sala bem contemporânea, que mescla o estilo dos móveis. Gosto muito!

+ salas

Comente Aqui (5)