pe direito duplo

O que é um LOFT?

por Mariana Lombardi - 29 de abril de 2010

Em Nova York, regiões industriais decadentes, como o Soho, tornaram-se descoladas a partir da reciclagem de suas antigas fábricas e frigoríficos. Essas construções amplas, com pé-direito alto e vãos livres, atraíram, nos anos 60, artistas plásticos, que as utilizavam como morada e lugar de trabalho. Ateliê, quarto, sala, banheiro e cozinha se confundiam em um mesmo salão. Os lofts eram uma opção barata de moradia. Nos anos 70, com a revitalização de seu entorno pela prefeitura de Nova York, viraram moda e encareceram. Em Manhattan, os menores lofts de West Village (que vão de 55 a 78 metros quadrados) custam no mínimo 1 milhão de dólares.

O que um loft de verdade tem:

• Pé-direito de, no mínimo, 3,20 metros

• Ausência de paredes como divisões internas

• Ambientes conjugados preferencialmente em um nível só

• Colunas de sustentação aparentes

• Tijolos e tubulações à vista – elétrica, hidráulica e de ar-condicionado

• Ausência de forro e piso. O chão é de cimento

• Uso de materiais frios, como cerâmica

• Iluminação natural garantida por grandes janelas

No Brasil, a maioria dos projetos lançados se distanciam muito do conceito original. Surgiram muitas adaptações, chamadas muitas vezes de lofts-fake ou apartamentos loft-inspired.  Por exemplo, muitos dúplex encontrados no mercado, embora não sejam nada amplos, são vendidos como lofts só por causa do pé-direito duplo. O que se faz por aqui são ambientes “loftados”, pois não  há galpões de fábrica em áreas em que as pessoas gostariam de morar. Mesmo assim o metro quadrado de um loft é cerca de 20% mais caro do que o de um apartamento convencional de mesma localização.

A tradução do conceito pelo mercado local resultou em construções de pé-direito duplo e grandes janelas em que a área social se confunde com a de serviço. A ala íntima (quarto e banheiro) fica resguardada em um mezanino. Solteiros e jovens casais sem filhos são o principal público desse tipo de empreendimento. Manter a privacidade num ambiente assim, no entanto, pode ser difícil quando ele é dividido com alguém. O loft é mais que um espaço: é um estilo de vida!

 Roberto Migotto

 Via Veijnha online.

.

+ projetos de loft aqui

Comente Aqui (22)

Como arrumar quadros

por Mariana Lombardi - 23 de abril de 2010

Os quadros são elementos ideais para dar um toque final ou mais vida na decoração de um ambiente. Mas como arrumá-los? Preparamos algumas dicas para auxiliar  na hora de escolher e colocar o quadro certo para cada lugar.

– Dispostos em ambientes variados, a proporção ideal deve  relacionar o tamanho do quadro com as dimensões do espaço. Além disso, compõem a parede em conjunto ou unicamente, dependendo do seu tamanho ou forma. As molduras devem ser escolhidas com atenção para não comprometer  a linguagem da obra, podendo ser coloridas, simples ou rebuscadas.

– A regra básica ao pendurar os quadros é deixá-los mais ou menos na altura do olhar, ou seja, levando-se em conta a altura média dos observadores de 1,70 m de altura, o centro do quadro deve ficar a mais ou menos 1,60 m do chão. Mas alguns elementos nos ambientes podem variar essa altura.

Sozinhos

– Se o quadro vai ficar em cima de um sofá, ele deve ficar entre 30 e 40cm acima da altura do encosto do sofá.

– Se o quadro for para cima de uma cama, caso a cama não tenha cabeceira, o quadro deve estar a no mínimo 60 cm do colchão, e caso tenha, a 20 cm da mesma.

– No caso de um ambiente que tenha um elemento marcante, como por exemplo uma mesa de jantar, o quadro deve ser centralizado pelo elemento e não pela parede.

DA1Projeto Debora Aguiar

francisco-calio-2Projeto Francisco Cálio

quadro-myrna-porcaroProjeto Myrna Porcaro

Em dupla

– Quadros dípticos ou com a mesma linguagem e formato funcionam bem para preencher a decoração. Nesse caso deve ser respeitado um eixo central e uma distância entre os dois proporcional ao tamanho da parede.

aeg_Gisele Busmayer_stammerfotografia_2Projeto Gisele Busmeyer

Em conjunto

– Planejar a uma composição de quadros é muito importante, antes de sair pendurando de qualquer jeito. O ideal é colocar primeiro todos quadros no chão e testar as possibilidades. Deve-se buscar o equilíbrio entre as cores e tamanhos de cada elemento.

apartamento_leblon_toninho_noronha_13Projeto Toninho Noronha

Prateleiras

– Um outro artifício são as prateleiras, onde os quadros podem ficar apenas apoiados. Isto dá um toque moderno à decoração, dando liberdade para mudar e compor rapidamente um novo visual ao espaço. O mesmo pode ser feito com quadros grandes, só que ao invés das prateleiras, apoiados no chão.

quadros-apoiadosProjeto Bárbara Dundes

Gustavo PradoeAna Luisa CairoProjeto Gustavo Prado e Ana Luisa Cairo

Pé-direito alto

– Por mais alto que seja o pé-direito, os quadros devem começar a ser colocados a partir de uma peça existente. Eles podem ocupar a parede inteira ou podem ficar só na parte de cima ou de baixo.  A relação não muda porque ela começa de baixo e não de cima. O quadro não precisa ter uma distância certa do forro e do teto.

fernandamarquesFernanda Marques

Colaboração: Fabianna Cavalcanti

+ ideias para quadros

Comente Aqui (16)