quarto

Como arrumar quadros

por Mariana Lombardi - 23 de abril de 2010

Os quadros são elementos ideais para dar um toque final ou mais vida na decoração de um ambiente. Mas como arrumá-los? Preparamos algumas dicas para auxiliar  na hora de escolher e colocar o quadro certo para cada lugar.

– Dispostos em ambientes variados, a proporção ideal deve  relacionar o tamanho do quadro com as dimensões do espaço. Além disso, compõem a parede em conjunto ou unicamente, dependendo do seu tamanho ou forma. As molduras devem ser escolhidas com atenção para não comprometer  a linguagem da obra, podendo ser coloridas, simples ou rebuscadas.

– A regra básica ao pendurar os quadros é deixá-los mais ou menos na altura do olhar, ou seja, levando-se em conta a altura média dos observadores de 1,70 m de altura, o centro do quadro deve ficar a mais ou menos 1,60 m do chão. Mas alguns elementos nos ambientes podem variar essa altura.

Sozinhos

– Se o quadro vai ficar em cima de um sofá, ele deve ficar entre 30 e 40cm acima da altura do encosto do sofá.

– Se o quadro for para cima de uma cama, caso a cama não tenha cabeceira, o quadro deve estar a no mínimo 60 cm do colchão, e caso tenha, a 20 cm da mesma.

– No caso de um ambiente que tenha um elemento marcante, como por exemplo uma mesa de jantar, o quadro deve ser centralizado pelo elemento e não pela parede.

DA1Projeto Debora Aguiar

francisco-calio-2Projeto Francisco Cálio

quadro-myrna-porcaroProjeto Myrna Porcaro

Em dupla

– Quadros dípticos ou com a mesma linguagem e formato funcionam bem para preencher a decoração. Nesse caso deve ser respeitado um eixo central e uma distância entre os dois proporcional ao tamanho da parede.

aeg_Gisele Busmayer_stammerfotografia_2Projeto Gisele Busmeyer

Em conjunto

– Planejar a uma composição de quadros é muito importante, antes de sair pendurando de qualquer jeito. O ideal é colocar primeiro todos quadros no chão e testar as possibilidades. Deve-se buscar o equilíbrio entre as cores e tamanhos de cada elemento.

apartamento_leblon_toninho_noronha_13Projeto Toninho Noronha

Prateleiras

– Um outro artifício são as prateleiras, onde os quadros podem ficar apenas apoiados. Isto dá um toque moderno à decoração, dando liberdade para mudar e compor rapidamente um novo visual ao espaço. O mesmo pode ser feito com quadros grandes, só que ao invés das prateleiras, apoiados no chão.

quadros-apoiadosProjeto Bárbara Dundes

Gustavo PradoeAna Luisa CairoProjeto Gustavo Prado e Ana Luisa Cairo

Pé-direito alto

– Por mais alto que seja o pé-direito, os quadros devem começar a ser colocados a partir de uma peça existente. Eles podem ocupar a parede inteira ou podem ficar só na parte de cima ou de baixo.  A relação não muda porque ela começa de baixo e não de cima. O quadro não precisa ter uma distância certa do forro e do teto.

fernandamarquesFernanda Marques

Colaboração: Fabianna Cavalcanti

+ ideias para quadros

Comente Aqui (16)

Rosa claro na decoração

por Mariana Lombardi - 14 de abril de 2010

Eu sempre fui fã de rosa clarinho, acho super romântico e delicado. Ultimamente tenho visto a cor em todos os lugares: nas vitrines, nas revistas, nos blogs, nas celebrits por aí… e é claaaro que se tá na moda, pode estar na sua casa também, né?!

O Estilo Provençal combina muito com o rosa claro e pode ser definido como um tipo de decoração bem romântica, que lembra uma casinha de boneca, com tecidos leves, móveis pintados e entalhados, estampas miúdas em florais e listras, muitas almofadas e bordados. Aqui no escritório nós adoramos fazer quartos de bebê nesse estilo!

Rosinha também pode ser usado num ambiente mais moderno, seja na mistura com branco e preto ou na junção com outros tons pastéis (azuis, verdes, amarelos). Fica chique e elegante!

A maioria das fotos a seguir são de fora (sites americanos e europeus) e o estilo de decoração deles é um pouquinho diferente do que costumamos usar por aqui… mas as idéias são lindas! Vale a pena se inspirar e escolher em qual cômodo da casa você vai querer usar o rosa clarinho!

Fotos: A Girly Chic, Amanda Nisbet Design, Casa de Valentina, Country Living, Decor8, Decouracao, Design To Sponge, Dream House, Home to Home, Living Etc, My Notebook, Studio da Lu.

Comente Aqui (13)

Madeira ebanizada

por Mariana Lombardi - 05 de abril de 2010

Ébano é a designação dada às árvores que produzem uma madeira muito escura, nobre e rara. Por ser uma madeira resistente, duradoura e bonita é muito utilizada na fabricação de mobiliários, objetos decorativos e instrumentos musicais (violinos e teclas pretas do piano).

O termo madeira ebanizada é usado para descrever um tipo de acabamento dado à madeira que a deixa preta e com os veios naturais marcados, simplificando, “é uma madeira pintada de preto”. Consegue-se o efeito tingindo a madeira de preto (tauari,  sucupira, freijó,…), diferente de quando se usa a laca que cobre toda a superfície de uma forma unificada, deixando-a lisinha.

A madeira ebanizada confere nobreza e suntuosidade e é muito usada em pisos, painéis e móveis. A seguir, alguns exemplos da sua utilização:

Piso requintado em madeira tauari ebanizada. Projeto Roberto Migotto, foto do site do arquiteto. Esse é o apartamento da Adriane Galisteu em São Paulo!

Piso em madeira ebanizada. Projeto Roberto Migotto, foto do site do arquiteto.

A madeira ebanizada é um ótimo material para ser usada em painéis de home theater, pois como é escura e sem brilho quase não reflete o que está na sala e nem desvia a atenção na hora de assistir tv. Projeto Roberto Migotto, foto do site do arquiteto.

Painel em madeira ebanizada. Projeto Roberto Migotto, foto do site do arquiteto.

Mais uma vez a imbuia ebanizada foi escolhida para revestir o painel do home theater com iluminação cenográfica e nichos sob medida para tv, equipamentos e até lareira. Revista Dcasa nº18, projeto Vânia Gianfratti e Eduardo Barcelos.

Quarto de adolescente com projeto em linhas retas e acabamento em branco e madeira preta ebanizada. Revista Dcasa nº18, projeto Consuelo Jorge.

Essa moderna sala de jantar tem mesa com base ebanizada e tampo de 1,40 m de diâmetro de pau-ferro e cadeiras Louis Ghost. Essa é uma das fotos que mais dá para ver o efeito dos veios que ficam aparentes, marcados. Projeto de Ricardo Caminada, site casa.com.br.

Mesa de jantar com estrutura ebanizada e tampo em madeira wengé. Projeto de Alice Martins e Flavio Butti, site csa.com.br.

Já nesse home theater, o painel da tv está em madeira ripada e a madeira ebanizada está na mesa atrás do sofá que para garantir praticidade, um vidro preto foi colocado por cima. Revista Dcasa nº22, projeto Gláucia Britto.

Cama em madeira ebanizada, apartamento decorado, Alphaville.

Estante em losangos da Dominox cabe em qualquer canto por ser um modelo fininho. Projeto de Andrea Buratto, foto site casa.com.br.

Caixilhos das esquadrias em madeira ebanizada certificada. Loft do Velejador na Casa Cor São Paulo, projeto Débora Aguiar.

Comente Aqui (17)