materiais e acabamentos

Madeira ripada

por Mariana Lombardi - 27 de agosto de 2017

Madeira ripada é um caso de amor! ♥ Pode ser usada em todos os ambientes, sejam eles grandes ou pequenos, residenciais ou comerciais, internos ou externos (fachadas, portas e portões). É bonita, atemporal, permite vários desenhos e pode ser de diversas cores (depende do tom da madeira escolhida).

Para quem também ama madeira e quer um painel em casa, vale lembrar:

Tipos de madeira

A madeira natural é o material que garante o melhor resultado final para um painel ripado. As mais usadas são: Freijó, Cumaru e Imbuia. As madeira mais avermelhadas, como o Ipê e o Mogno, quase não são usadas hoje em dia.

Por serem de madeiras nobres, o custo de um painel ripado é alto. Sem considerar a mão de obra, que também deve ser qualificada para um bom resultado.

O painel ripado até pode ser feito de mdf laminado de madeira ou compensado naval, mas as quinas das ripas ficarão evidentes no acabamento. Funcionam, mas na minha opinião, não são os mais lindos.

Cuidado! Madeiras muito moles podem trabalhar e modificar o desenho do painel – quanto mais clara ela for, mais frágil.

Acabamentos

O acabamento mais atual para a madeira ripada é feito com selador fosco ou acetinado (com pouco brilho, no máximo 40%). Para ambientes externos, o ideal é usar verniz fosco ou acetinado.

Tamanho das ripas

Os desenhos do ripado podem variar bastante. O que os diferencia são a largura da ripa e a largura/profundidade do friso, conforme o desenho acima.

No painel 1: a largura da ripa é de 2cm + friso de 0,5cm + profundidade de 0,5cm. No painel 2: a largura da ripa é de 3,5cm + friso de 0,5cm + profundidade de 0,5cm. No painel 3: a largura da ripa é de 2cm + friso de 2cm + profundidade de 1cm.

Atualmente, essas são as proporções que mais vejo e detalho nos projetos. Claro que não é uma regra, apenas uma observação. Tanto que nas fotos abaixo, veremos painéis com medidas variadas.

Se a opção for com ripas bem finas, vale prestar atenção para a escolha da madeira, que deve ser mais “dura”. Senão o painel pode trabalhar!

Cuidado! A proporção das ripas tem que ser observada: frisos muito finos e profundos são complicados para limpar, especialmente em áreas externas, podendo acumular bichos.

Lindos exemplos:

Sala com painel ripado na parede em “L”, acho que é de madeira freijó. Adorei o piso de ladrilho hidráulico! Observem que onde tem painel não precisa ter rodapé. Projeto Triplex Arquitetura.

Sala de jantar com painel ripado + nicho de mármore travertino. Vejam que a madeira ripada foi usada para uniformizar/disfarçar paredes, portas e armários, tudo com o mesmo acabamento e formando um grande painel – amo esse recurso! Projeto Débora Roig.

Quarto com cabeceira de madeira ripada + iluminação embutida no gesso. Lindo! Esses dias fiz um post com várias cabeceiras de madeira – veja aqui.


Sala de espera com painel ripado + paredes de cimento queimado + piso de pedra natural. Vejam como ficou interessante o quadro pendurado sobre o painel! Projeto Renata Dutra.

Escritório corporativo com painel ripado de madeira escura + iluminação direcionada (destacando o desenho da madeira) + piso e balcão de madeira.

Que tal a madeira ripada no teto? Uaaau!!! Casa linda e moderna, com teto de madeira + piso de mármore e detalhes de cimento queimado. Projeto Studio MK27  (Márcio Kogan e Renata Furlanetto). Fotografia Fernando Guerra.

Comente Aqui (8)

Tipos de esquadria: madeira, alumínio, pvc e blindex

por Cris Campos - 14 de dezembro de 2015

Esquadrias são as janelas e portas de uma construção e são muito importantes para uma obra, tanto pela estética, quanto pelo custo, já que podem significar até 20% do valor total. Os materiais mais usados são madeira, alumínio, pvc e vidro temperado (blindex). Vamos falar aqui sobre as vantagens e desvantagens de cada um.

MADEIRA

A madeira é um material resistente, de alta durabilidade, e muito versátil. As esquadrias de madeira permitem todos os tipos de abertura para portas, portões,  janelas e venezianas.

Elas são bonitas e têm um efeito rústico e sofisticado, além de oferecerem conforto térmico e acústico. Porém, as madeiras mais adequadas são as nobres, que têm origem no desmatamento – a maior de todas as desvantagens.

O custo é alto e, dependendo da madeira, ela pode empenar, causando problemas para abrir e fechar. Além disso, é um material que exige manutenção constante, pois e é suscetível à ação do tempo, da umidade, da seca e dos raios solares.

sala com portas de corres de madeira

Sala toda aberta com grandes portas de correr de madeira com vidro transparente. A madeira aqui aqueceu o ambiente minimalista, achei lindo. Projeto Kelly Behun.

janelas de correr cortina de vidro de madeira

Janelas de madeira com vidro verde que correm todas para o mesmo lado, permitindo abertura quase completa que deixa a sala com ares de varanda. Projeto Ouriço Arquitetura.

esquadria veneziana de madeira

Nessa casa rústica as esquadrias são de madeira com veneziana em portas e janelas. Projeto Hosla Associates.

ALUMINIO

As esquadrias de alumínio são as mais utilizadas atualmente. Isso porque o alumínio é um material durável, que exige pouca manutenção, além de ser resistente à corrosão. São muito utilizadas nas cores branca, preta e bronze, e o acabamento pode ser pintura eletrostática ou anodização (mais resistente a corrosão). O alumínio tem, ainda, a vantagem de não deformar, garantindo estabilidade dimensional.

Elas podem ser feitas sob medida e vencem grandes vãos com perfis esbeltos, atendendo à diversas exigências estéticas e funcionais. Além disso, ele oferece resistência e segurança.

Como desvantagens, as esquadrias de alumínio apresentam baixo isolamento térmico e acústico. Para resolver esse problema, são usados modelos com perfis maiores e vidro duplo ou triplo, o que aumenta bastante o custo.

sala com esquadrias de aluminio branco

Sala aberta para a varanda por meio de portas de correr de alumínio branco e vidro incolor.  Projeto Vivian Coser.

aberturas com esquadrias de aluminio preto

Nessa cobertura, as portas de alumínio preto com vidro verde integram os ambientes internos com a área da piscina. Projeto Izabella Lessa.

esquadrias de alumínio bronze

Nessa casa, as esquadrias são de alumínio bronze, a corque mais combina com os materiais mais rústicos, como pedra e madeira. Projeto Pupo + Gaspar.

casa com veneziana de aluminio branco

Adorei a fachada dessa casa, composta por esquadrias de alumínio em grandes venezianas de correr.

PVC

As esquadrias de PVC estão ganhando cada vez mais espaço nas construções. O PVC é um material de alta qualidade, durável, resistente e não exige pintura ou manutenção. Os perfis ainda são reforçados internamente com aço, aumentando a resistência à deformação.

Elas também são feitas sob medida e são muito versáteis e flexíveis. Além disso, são muito leves e fáceis de manusear, mesmo com grandes dimensões. Alguns fabricantes apresentam uma boa cartela de cores e já existe um acabamento muito semelhante à madeira, perfeito pra quem não abre mão desse efeito.

A grande desvantagem das esquadrias de PVC é o alto custo, além do fato de só ser vendido sob encomenda.

fachada de casa esquadria de pvc parade envidracada

Casa com grandes esquadrias de pvc branco e vidro incolor. Nos quartos, a opção foram usadas portas com venezianas para escurecer e manter a privacidade.

casa com esquadrias de pvc zezinho e turibio santos

Casa de praia com as esquadrias mais adequadas para esse clima, já que o pvc não sofre com umidade e maresia. Projeto Santos & Santos Arquitetura.

casa com esquadrias de pvc com acabamento de madeira

Essa casa é cheia de detalhas em madeira e, pra combinar, as esquadrias são de pvc com acabamento de madeira. Essa é uma ótima opção pra quem gosta da estética desse material, mas não abre mão da tecnologia e das vantagens das esquadrias de pvc. Projeto Sandra Picciotto.

VIDRO TEMPERADO

As esquadrias de vidro temperado (conhecido como blindex) são aquelas feitas totalmente em vidro, utilizando apenas pequenos perfis de alumínio nas ferragens. O vidro temperado é aquele fabricado com um tratamento térmico, que confere resistência e dureza, tornando-o muito mais resistente que o vidro comum.

Eles facilitam a integração com o exterior da construção, mesmo fechadas, já que não têm a interferência dos perfis. Isso é uma vantagem para salas, mas uma desvantagem em quartos, pois deixam o ambiente devassado, necessitando de cortina (os outros materiais permitem o uso de venezianas) Além disso, possuem limitações de formato e tamanho.

Em relação aos outros materiais citados, o custo do vidro temperado é mais baixo. Porém, ele é o oferece menos segurança contra arrombamentos, pois as ferragens são frágeis.

fachada de casa com janelas de vidro temperado blindex

Casa linda com esquadrias de vidro temperado incolor. Projeto Maria di Pace.

01-varanda-de-apartamento-com-vidro

A varanda desse apartamento foi fechada com vidro temperado utilizando o sistema de cortina de vidro, que permite abertura ou fechamento total sem a interferência de perfis. Projeto Mayra Lopes.

esquadria de blindex no quarto

Quarto com porta de correr de blindex, bem discreta. Projeto Eduardo França e Letícia de Azevedo.

.

+ materiais e revestimentos

 

Comente Aqui (5)