iluminação

Restaurante em São Paulo

por Cris Campos - 03 de abril de 2010

Este é o restaurante Dalva e Dito, dos famosos chefs Alex Atala e Alain Poletto, localizado nos Jardins.  O conceito do restaurante é resgatar a culinária colonial brasileira, resgatando o clima das reuniões de famílias em volta da mesa da cozinha para conversar e saborear a comida farta. Este foi o ponto de partida para o projeto , concebido pelo designer de interiores Marcelo Rosenbaum, que passou uma semana na cidade mineira de Ouro Preto pesquisando as construções, a relação entre suas medidas, e observando as características dos espaços públicos da era colonial. O resultado foi essa linda releitura contemporânea do estilo colonial brasileiro.

No primeiro plano o terraço, que  integra-se ao salão principal por meio de grandes aberturas. Aqui aparecem influências da arquitetura moura, trazidas ao Brasil pelos portugueses na era colonial. Entre elas estão o painel de Athos Bulcão (ao fundo), executado com cerâmica branca e azul e os muxarabis nos fechamentos laterais e na cobertura do terraço. Eles deixam vazar uma luz filtrada, contribuindo para a atmosfera leve e agradável do espaço.

A iluminação suave em tom amarelado cria ambientação intimista no salão principal. As mesas foram confeccionadas com sobras de pisos de demolição, assim como o balcão do bar, com tampo de peroba maciça. As cadeiras de palhinha fazem uma referência direta à casa grande das fazendas. O contraponto ao cenário artesanal fica por conta da cozinha high tech, planejada pelo chef Alain Poletto e separada do salão principal por grandes panos de vidro que permitem ver toda a movimentação dos funcionários e todos os equipamentos.

No subsolo, onde forro e paredes foram revestidos por painéis melamínicos no padrão freijó, o destaque fica para os grafites de Derlon Almeida. Aqui foram dispostos o lounge e a grande mesa comunitária sob uma linha de luminárias antigas. Adoro esse recurso, o efeito é lindo.

Na decoração, elementos artesanais formam um rico conjunto de informações que valoriza a cultura popular brasileira. Um painel em laminado de madeira freijó serve de fundo ao itens que pertenciam ao acervo pessoal de Rosenbaum e incluem ex-votos, fragmentos, artefatos indígenas, peças cerâmicas, objetos vindos da cidade pernambucana de Caruaru. O piso em ladrilho hidráulico, formando lindos tapetes, foi outro responsável pela referência colonial.

As dimensões permitiram a divisão fluida e funcional da área em térreo com bar, salão principal e terraço integrado, além de subsolo com lounge e mais um bar – somados, eles oferecem cerca de 250 lugares. A linguagem artesanal caracteriza a construção e os interiores, começando pelas paredes de aspecto rústico, em composição harmoniosa com o piso de ladrilhos hidráulicos. Elas foram executadas por jovens de grupos de risco social, capacitados pelo Instituto Arapoty para trabalhar com o superadobe, técnica de baixo custo surgida na Índia nos anos 1970 e aparecem tambem na fachada. Na outra lateral, uma caixa formada pelos muxarabis delimita o amplo terraço.

Comente Aqui (7)

Assim eu gosto

por Mariana Lombardi - 31 de março de 2010

Gosto muito do projeto dessa residência, toda clarinha e com uma iluminação bem feita. Destaque para a enorme área de lazer integrada com o interior. Como o terreno é de esquina, pórticos foram construídos na lateral para aumentar a privacidade.

Projeto Beta Pollis, foto Clausem Bonifácio.

Comente Aqui (1)

Quarto bebê menino – Felipe

por Cris Campos - 17 de março de 2010

Esse é o quartinho do Felipe!

Projeto: Duetto Arquitetura e Interiores

quarto-menino-futebol

A mamãe, super cuidadosa, queria um quarto bem caprichado, com desenho moderno e atemporal, sem tema. Ao mesmo tempo, um quarto funcional e que acomodasse o berço, a poltrona de amamentação, o trocador e a cama da babá, além de espaço pros brinquedos lindos que foram escolhidos a dedo! Esse aproveitamento do espaço foi o desafio desse projeto, pois o quarto não é grande e já tinha um armário embutido, que foi mantido. Escolhemos trabalhar a base da decoração em tons de bege e branco e usamos no enxoval, executado pela loja Quarteto, um tecido listrado em tons de azul marinho. Esse tecido deu um ar sofisticado ao quartinho.

O berço é da Cameretta. Ele tem a estrutura em madeira na cor freijó e a proteção lateral é uma tela, ao invés das grades tradicionais. A cabeceira e a peseira são revestidas por um edredon, e o conjunto é um berço super moderno e aconchegante. Detalhe: tudo é facilmente retirado pra lavar. Além disso, ele dispensa aquelas almofadas laterais no kit de berço. Só precisa mesmo do lençol, edredon e aquelas almofadinhas de apoio.

quarto bebe menino azul

O sucesso do quartinho é mesmo o dono dele… Existe bebê mais fofo?

Para dar uma sensação de amplitude, projetamos um painel em “L” com dois rasgos de iluminação, instalado na parede principal do quarto, atrás do berço. Esse recurso de iluminação tem um efeito lindo e é barato. Foi feito com aquelas mangueiras de luz que se compra por metro em qualquer elétrica. Dá pra apagar tudo e deixar só eles acesos, o quarto fica super gostoso.

quarto bebe poltrona listrada

A poltrona, também da Quarteto, foi revestida no mesmo tecido listrado, e tem um desenho moderno, além de ser super confortável pra mãe. O legal é que é um móvel que não tem cara de quarto de bebê; fica bem em outros ambientes da casa quando não precisar mais ficar no quartinho. O painel, a cômoda, os gaveteiros e o nichos da parede foram executados por marceneiro, tudo em laca branca. O fundo dos nichos foi o diferencial, já que a Cameretta enviou a mesma lâmina de madeira que reveste o berço. Assim ficou tudo igual!

Fotos: duetto. Mil desculpas pela qualidade das fotos, mas mesmo assim acho que dá pra ter uma idéia do quartinho, né?!

+ quartos de bebê

Comente Aqui (14)