Arquivo para preto - assim eu gosto
Cozinhas pretas
Postado Por - 25 de setembro de 2012

Muita gente acha que cozinhas precisam ter acabamentos bem claros para dar a sensação de limpeza. Mas os acabamentos escuros são sofisticados e funcionam muito bem, tanto em cozinhas de dia-a-dia como nas gourmet.

A bancada é um dos elementos mais importantes da cozinha, pois não pode absorver gordura e deve ser fácil de limpar. Nesse ponto o granito preto leva vantagem: é mais bonito que os claros e manchados, e mais barato que as pedras sintéticas, como o Silestone.

Usar o preto em bancadas, armários, pisos ou paredes requer sim um capricho extra no planejamento da iluminação, para que ela fique iluminada e linda como os exemplos a seguir.

Totalmente integrada com a sala, essa cozinha combina bancada e armários pretos com os tacos de madeira – opção válida apenas para cozinhas pouco usadas no dia-a-dia. Mas o resultado é lindo, né? Projeto Gustavo Jansen via Casa e Jardim.

Aqui o rústico do cimento queimado da parede contrasta com o desenho moderno dos armários. Gostei do armário do fundo, que abriga os fornos em uma metade e os adornos e livros de culinária na outra. Via Casa Premium.

Piso claro + bancadas e armários pretos + detalhes de madeira, adoro essa combinação porque o piso claro não deixa o ambiente escurecer, e a madeira deixa o preto moderno mais aconchegante.

Mesmo pequena, essa cozinha ficou linda e iluminada. O piso é de porcelanato cinza, bancada e parede de granito, armários de vidro e fórmica e parede do fundo revestida pastilhas de vidro, tudo em tons de preto misturando texturas. A iluminação principal foi feita com um rasgo central e lâmpadas fluorescentes. Projeto Karina Afonso.

Nessa cozinha a combinação de preto e branco foi destacada na mistura dos materiais: pastilhas de vidro, laca extra-brilho, silestone. A tela colorida confere ares de sala.

Cozinha em formato de “U” com piso claro, bancada e parede em granito preto, armários em vidro branco e mesa de madeira. Para disfarçar os pontos de tomada no fundo preto poderia ter sido usado um acabamento preto para as caixas. Outra ideia é colocar tomadas embaixo do armário, e não na parede! Projeto Vivian Coser via Revista Lush.

Linda cozinha integrada com mix de texturas em tons de cinza e preto e detalhes amarelos. A geladeira é um show, né? O balcão que divide os espaços foi revestido com pastilhas de vidro pretas e se estende um pouco mais formando uma mesa. Também adorei o detalhe da iluminação embutida em uma prancha de madeira acompanhando o balcão. Projeto Diogo Oliva via Casa e Jardim.

Outra cozinha integrada com a sala, com piso e paredes em cinza claro e armários, bancada e eletrodomésticos pretos. Projeto Sônia Peres e Hélio Albuquerque.

Linda essa cozinha, localizada ao lado de uma janela enooooorme com uma linda vista pras árvores. Ainda mais com piso claro, não tem jeito de ser escura, né?

+ cozinhas

 





Parede preta
Postado Por - 10 de maio de 2011

O Otávio deixou um comentário aqui no blog perguntando sobre a parede preta: “Penso em pintar a parede da minha casa, mas as pessoas têm me falado que risca super fácil. É verdade?”

Sim! Se ela for pintada com tinta fosca ou acetinada deve-se tomar muito cuidado, pois risca com facilidade e só com uma esponja úmida para tirar as marcas. Pequenas foligens também aderem com facilidade, assim como em toda parede pintada em cor escura. A dica para minimizar estes efeitos é pintar alguma parede que não fique na passagem ou tentar tinta semi-brilho (o efeito fica bem diferente da tinta fosca).

Mas uma parede preta fica tão bonita, não é?! É chique, neutra, elegante, um luxo! E olhando algumas fotos, vi outras soluções para quem gosta e quer uma parede preta em casa.

Tinta fosca ou acetinada —> Olha que sala linda! Para criar contrastes, móveis claros e leves, espelho e quadros coloridos. Projeto Ivan Wodzinsky.

Tinta fosca —> Na sala, a parede preta destaca os tons quentes do mobiliário e das obras de arte. Projeto Andrea Alencar e Natália Mota.

Tinta fosca —> No quarto, a parede preta é o fundo do painel e ninguém chega perto dela! É o caso que falei de evitar usá-la nas passagens. Já mostramos este projeto aqui. 

Tinta fosca e armários —> Na cozinha, paredes e armários pretos deixam o ambiente bonito e arrojado. Para ter tudo escuro, o espaço tem que ser generoso e bem iluminado, senão o preto diminui ainda mais.

Tinta com brilho —> Na sala, a parede preta foi feita com tinta semi-brilho. Observem como a cor e o efeito mudam! Porque no caso da parede fosca, ela não absorve e nem reflete nada, já aqui ela fica diferente… (livingwithwhite)

Tijolinho aparente —> Na sala, a parede de tijolinho aparente foi pintada de preta e a textura disfarça as eventuais marcas. (trendir)

Parede-lousa —> Aqui a parede preta tem o efeito de parede-lousa, ou seja, é para ser rabiscada!

Textura —> No cantinho de leitura, a parede recebeu tinta preta com textura e móveis de design marcante, como a poltrona Egg, e tons mais quentes como o rosa do tapete para quebrar a seriedade. Projeto Francisco Cálio. (casa cláudia)

Laca preta —> Na sala, a parede do fundo foi toda laqueada de preta, mais resistente e com melhor acabamento. Projeto Diogo Revollo. (uol casa)

Papel de parede —> Na sala de jantar, a parede preta criou contraste com a mesa e as cadeiras brancas, o pendente de acrílico transparente e o piso de madeira clara. (schoener-wohnen)

Papel de parede —> No hall de entrada, a parede preta é um papel de parede com desenhos criados a partir do contraste do brilho e do fosco.

Madeira ebanizada —> Na sala de jantar, a parede preta é um painel feito de madeira ebanizada com frisos. (casa e jardim)

Madeira ebanizada —> No home theater, a parede da tv tem um painel de madeira ebanizada que impede reflexos. Projeto Francisco Cálio. (casa e jardim)

Couro —> O escritório tem parede de couro preto (Empório Beraldin) e móvel em laca preta. A cadeira antiga de barbeiro foi comprada em um antiquário à beira de uma estrada. Projeto Valéria Blay. (casa e jardim)

Persiana —> No home office, a parede preta é a persiana de madeira com acabamento em laca preta. Projeto da Casa Cor Paraná 2010.

Estante —> No restaurante, a estante de madeira com acabamento em laca preta ocupa toda a parede. Projeto Francisco Cálio, restaurante Banana Sushi em São Paulo.

Mosaico —> No banheiro, a parede do fundo recebeu o mosaico negro da Mosarte contrastando com o branco da bancada, piso e revestimentos. Já falamos deste projeto aqui.

Pastilha —> Na cozinha, a parede recebeu pastilha de vidro preta e os armários são de vidro preto. Projeto Francisco Cálio na Casa Cor São Paulo.

Cinza escuro esverdeado –> Na sala de jantar, a parede preta na verdade é um cinza bem escuro. É um recurso para quem tem medo do preto total, existem muitas tonalidades diferentes da cor preta, descubra o seu tom! (casa cláudia)

Grafite escuro –> Já neste escritório, a “parede preta” é um grafite bem escuro. Projeto Ana Maria Vieira Santos.

Veja também: parede marrom / parede azul marinho

+ cores na decoração





Gostoso…
Postado Por - 20 de agosto de 2010

Essa semama foi tão corrida… tudo o que eu quero no fim de semana é uma cama assim: beeem gostosa!

Ambiente com cores frias, principalmente o cinza, mas as diferentes texturas usadas – pêlo, pedra filetada, edredon fofinho, muitas almodafas – o deixou aconchegante. Como sempre falo por aqui, usar preto com amarelo não tem erro!

(desiretoinspire)





O que é um LOFT?
Postado Por - 29 de abril de 2010

Em Nova York, regiões industriais decadentes, como o Soho, tornaram-se descoladas a partir da reciclagem de suas antigas fábricas e frigoríficos. Essas construções amplas, com pé-direito alto e vãos livres, atraíram, nos anos 60, artistas plásticos, que as utilizavam como morada e lugar de trabalho. Ateliê, quarto, sala, banheiro e cozinha se confundiam em um mesmo salão. Os lofts eram uma opção barata de moradia. Nos anos 70, com a revitalização de seu entorno pela prefeitura de Nova York, viraram moda e encareceram. Em Manhattan, os menores lofts de West Village (que vão de 55 a 78 metros quadrados) custam no mínimo 1 milhão de dólares.

O que um loft de verdade tem:

• Pé-direito de, no mínimo, 3,20 metros

• Ausência de paredes como divisões internas

• Ambientes conjugados preferencialmente em um nível só

• Colunas de sustentação aparentes

• Tijolos e tubulações à vista – elétrica, hidráulica e de ar-condicionado

• Ausência de forro e piso. O chão é de cimento

• Uso de materiais frios, como cerâmica

• Iluminação natural garantida por grandes janelas

Desire to inspire

Gregory Lee (Flickr)

HuntsmanPhoto (Flickr)

Ijzerman (Flickr)

Carl Bellavia (Flickr)

Salmonhead (Flickr)

Atelier Autonome (Flickr)

No Brasil, a maioria dos projetos lançados se distanciam muito do conceito original. Surgiram muitas adaptações, chamadas muitas vezes de lofts-fake ou apartamentos loft-inspired.  Por exemplo, muitos dúplex encontrados no mercado, embora não sejam nada amplos, são vendidos como lofts só por causa do pé-direito duplo. O que se faz por aqui são ambientes “loftados”, pois não  há galpões de fábrica em áreas em que as pessoas gostariam de morar. Mesmo assim o metro quadrado de um loft é cerca de 20% mais caro do que o de um apartamento convencional de mesma localização.

A tradução do conceito pelo mercado local resultou em construções de pé-direito duplo e grandes janelas em que a área social se confunde com a de serviço. A ala íntima (quarto e banheiro) fica resguardada em um mezanino. Solteiros e jovens casais sem filhos são o principal público desse tipo de empreendimento. Manter a privacidade num ambiente assim, no entanto, pode ser difícil quando ele é dividido com alguém. O loft é mais que um espaço: é um estilo de vida!

City Space (Flickr)

Casa Cláudia

Pete Sieger (Flickr)

City Space (Flickr)

 Roberto Migotto

 Via Veijnha online e Desire to inspire.





Madeira ebanizada
Postado Por - 05 de abril de 2010

Ébano é a designação dada às árvores que produzem uma madeira muito escura, nobre e rara. Por ser uma madeira resistente, duradoura e bonita é muito utilizada na fabricação de mobiliários, objetos decorativos e instrumentos musicais (violinos e teclas pretas do piano).

O termo madeira ebanizada é usado para descrever um tipo de acabamento dado à madeira que a deixa preta e com os veios naturais marcados, simplificando, “é uma madeira pintada de preto”. Consegue-se o efeito tingindo a madeira de preto (tauari,  sucupira, freijó,…), diferente de quando se usa a laca que cobre toda a superfície de uma forma unificada, deixando-a lisinha.

A madeira ebanizada confere nobreza e suntuosidade e é muito usada em pisos, painéis e móveis. A seguir, alguns exemplos da sua utilização:

Piso requintado em madeira tauari ebanizada. Projeto Roberto Migotto, foto do site do arquiteto. Esse é o apartamento da Adriane Galisteu em São Paulo!

Piso em madeira ebanizada. Projeto Roberto Migotto, foto do site do arquiteto.

A madeira ebanizada é um ótimo material para ser usada em painéis de home theater, pois como é escura e sem brilho quase não reflete o que está na sala e nem desvia a atenção na hora de assistir tv. Projeto Roberto Migotto, foto do site do arquiteto.

Painel em madeira ebanizada. Projeto Roberto Migotto, foto do site do arquiteto.

Mais uma vez a imbuia ebanizada foi escolhida para revestir o painel do home theater com iluminação cenográfica e nichos sob medida para tv, equipamentos e até lareira. Revista Dcasa nº18, projeto Vânia Gianfratti e Eduardo Barcelos.

Quarto de adolescente com projeto em linhas retas e acabamento em branco e madeira preta ebanizada. Revista Dcasa nº18, projeto Consuelo Jorge.

Essa moderna sala de jantar tem mesa com base ebanizada e tampo de 1,40 m de diâmetro de pau-ferro e cadeiras Louis Ghost. Essa é uma das fotos que mais dá para ver o efeito dos veios que ficam aparentes, marcados. Projeto de Ricardo Caminada, site casa.com.br.

Mesa de jantar com estrutura ebanizada e tampo em madeira wengé. Projeto de Alice Martins e Flavio Butti, site csa.com.br.

Já nesse home theater, o painel da tv está em madeira ripada e a madeira ebanizada está na mesa atrás do sofá que para garantir praticidade, um vidro preto foi colocado por cima. Revista Dcasa nº22, projeto Gláucia Britto.

Cama em madeira ebanizada, apartamento decorado, Alphaville.

Estante em losangos da Dominox cabe em qualquer canto por ser um modelo fininho. Projeto de Andrea Buratto, foto site casa.com.br.

Caixilhos das esquadrias em madeira ebanizada certificada. Loft do Velejador na Casa Cor São Paulo, projeto Débora Aguiar.






Diariamente, recebemos vários comentários e emails pedindo dicas ou soluções para algum detalhe específico. Tentamos responder à maioria, mas é impossível atender a todos imediatamente. Então, se você deixou algum recadinho por aqui, ele será respondido ou um post será feito pra deixar tudo bem explicado!