Arquivo para pe direito duplo - assim eu gosto
Salas com pé-direito duplo (3)
Postado Por - 01 de abril de 2013

——> continuação de Salas com pé-direito duplo (2).

casa vogue2Nessa sala a decoração aconchegante faz um contraponto com a estrutura metálica aparente. O ambiente é lindo e a vista é de tirar o fôlego! Via Casa Vogue.

pé direito duploMais duas salas envidraçadas muito bonitas. Na primeira uma luminária que parece uma asa delta chama a atenção. Via Pinterest / Na segunda sala dois vasos bem grandes preenchem o espaço. Via Open House.

Roberto MigottoNessa decoração maravilhosa de Roberto Migotto os ambiente são integrados e bem iluminados. Adoro as cortinas bem longas, marcando o pé-direito, e o lustre da sala de jantar vindo lá de cima.

pé direito duplo2A primeira sala chama a atenção pela sofisticação, conferida principalmente pelas longas cortinas e pelo grande lustre colocado no canto da sala. Projeto Wanda Meyer e Andrea Mattos, foto Clausem Bonifácio. / A segunda foto apresenta uma sala mais moderna. Gosto muito dos quadros de vidro pendurados por cabos de aço.  Kiko Salomão Via Archdaily.

pé direito duplo3Duas salas com mezanino, a primeiro se destaca pelo guarda-corpo trabalhado, que parece uma escultura, e pelo painel da lareira, que passa pelos dois pavimentos. Via Casa Vogue. / A segunda foto mostra uma proposta bem moderna, com teto inclinado. Adoro o sofá enorme e central, que pode ser usado de vários lados. Projeto Marcelo Rosembaum.pé direito duplo4Pena que a qualidade dessa imagem ficou ruim, mas adorei a proposta da estante bem alta sobre a parede de tijolos aparentes e das longas cortinas brancas. Via Instagram Homes.

pinterestOutra sala apaixonante! A paredes de tijolos de concreto aparente ficaram alegres com a composição de fotos. Esse mesmo clima despojado foi conseguido com os móveis coloridos e de design moderno. Via Pinterest.

aeg_ph_edgarcesar_5_anualdesignO mais legal dessa sala é a forma como ela se integra com o exterior, através de portas imensas que permitem abertura total. Demais, né? A decoração também é linda: base neutra e toques de cor nos detalhes. Projeto Pedro Ernesto, foto Edgard Cesar.

 + salas aqui





Assim eu gosto
Postado Por - 03 de janeiro de 2013

Essa sala tem uma proporção muito bacana! O pé direito duplo foi valorizado pela enorme estante ao fundo. Ela abriga uma cômoda e um carrinho de chá nos nichos maiores e muitos objetos lindos nas prateleiras acima. A escada apoiada dá um ar despojado, dando a impressão de que a decoração está sempre em mutação. A composição é ainda mais interessante com o fundo de madeira que reveste toda a parede. Projeto Mauricio Karam.





Pé-direito duplo
Postado Por - 03 de fevereiro de 2011

Pé-direito é a distância do piso ao teto e geralmente fica entre 2,50m e 2,70m. Abaixo de 2,40m é considerado baixo, causando a sensação de que o ambiente é menor. Acima de 3,00m é um pé-direito alto e garante ambientes amplos e mais agradáveis. O termo pé-direito duplo é usado para descrever um ambiente alto, não necessariamente 2 vezes uma altura normal.

* Na foto acima o pé-direito tem 4,00m de altura, observem a proporção do tamanho da geladeira em relação ao teto. O apartamento ficou amplo com a área externa anexada à sala e fechada com vidro quadriculado, deixando a cozinha bem clara.

Veja também: Salas com pé-direito duplo





O que é um LOFT?
Postado Por - 29 de abril de 2010

Em Nova York, regiões industriais decadentes, como o Soho, tornaram-se descoladas a partir da reciclagem de suas antigas fábricas e frigoríficos. Essas construções amplas, com pé-direito alto e vãos livres, atraíram, nos anos 60, artistas plásticos, que as utilizavam como morada e lugar de trabalho. Ateliê, quarto, sala, banheiro e cozinha se confundiam em um mesmo salão. Os lofts eram uma opção barata de moradia. Nos anos 70, com a revitalização de seu entorno pela prefeitura de Nova York, viraram moda e encareceram. Em Manhattan, os menores lofts de West Village (que vão de 55 a 78 metros quadrados) custam no mínimo 1 milhão de dólares.

O que um loft de verdade tem:

• Pé-direito de, no mínimo, 3,20 metros

• Ausência de paredes como divisões internas

• Ambientes conjugados preferencialmente em um nível só

• Colunas de sustentação aparentes

• Tijolos e tubulações à vista – elétrica, hidráulica e de ar-condicionado

• Ausência de forro e piso. O chão é de cimento

• Uso de materiais frios, como cerâmica

• Iluminação natural garantida por grandes janelas

Desire to inspire

Gregory Lee (Flickr)

HuntsmanPhoto (Flickr)

Ijzerman (Flickr)

Carl Bellavia (Flickr)

Salmonhead (Flickr)

Atelier Autonome (Flickr)

No Brasil, a maioria dos projetos lançados se distanciam muito do conceito original. Surgiram muitas adaptações, chamadas muitas vezes de lofts-fake ou apartamentos loft-inspired.  Por exemplo, muitos dúplex encontrados no mercado, embora não sejam nada amplos, são vendidos como lofts só por causa do pé-direito duplo. O que se faz por aqui são ambientes “loftados”, pois não  há galpões de fábrica em áreas em que as pessoas gostariam de morar. Mesmo assim o metro quadrado de um loft é cerca de 20% mais caro do que o de um apartamento convencional de mesma localização.

A tradução do conceito pelo mercado local resultou em construções de pé-direito duplo e grandes janelas em que a área social se confunde com a de serviço. A ala íntima (quarto e banheiro) fica resguardada em um mezanino. Solteiros e jovens casais sem filhos são o principal público desse tipo de empreendimento. Manter a privacidade num ambiente assim, no entanto, pode ser difícil quando ele é dividido com alguém. O loft é mais que um espaço: é um estilo de vida!

City Space (Flickr)

Casa Cláudia

Pete Sieger (Flickr)

City Space (Flickr)

 Roberto Migotto

 Via Veijnha online e Desire to inspire.





Como arrumar quadros
Postado Por - 23 de abril de 2010

Os quadros são ferramentas ideais, que dão toque final ou mais vida na decoração de um ambiente. Mas como organizá-los? Seguir uma lista de considerações pode auxiliar e muito na hora de escolher o quadro certo para cada lugar.

Dispostos em ambientes variados, a proporção ideal deve  relacionar o tamanho do quadro com as dimensões do espaço. Além disso, compõem a parede em conjunto ou unicamente, dependendo do seu tamanho ou forma. As molduras devem ser escolhidas com atenção para não comprometer  a linguagem da obra, podendo ser coloridas, simples ou rebuscadas.

Sozinhos

A regra básica ao pendurar os quadros é deixá-los mais ou menos na altura do olhar, ou seja, levando-se em conta a altura média dos observadores de 1,70 m de altura, o centro do quadro deve ficar a mais ou menos 1,60 m do chão. Mas alguns elementos nos ambientes podem variar essa altura. Se o quadro vai ficar em cima de um sofá, ele deve ficar entre 30 e 40cm acima da altura do encosto do sofá. Se o quadro for para cima de uma cama, caso a cama não tenha cabeceira, o quadro deve estar a no mínimo 60 cm do colchão, e caso tenha, a 20 cm da mesma. No caso de um ambiente que tenha um elemento marcante, como por exemplo uma mesa de jantar, o quadro deve ser centralizado pelo elemento e não pela parede.

Em conjunto

Planejar a uma composição de quadros é muito importante, antes de sair pendurando de qualquer jeito. O ideal é colocar primeiro todos quadros no chão e testar as possibilidades. Deve-se buscar o equilíbrio entre as cores e tamanhos de cada elemento e manter um espaço entre um e outro de 10 a 12cm, aproximadamente.

Prateleiras

Um outro artifício são as prateleiras, onde os quadros podem ficar apenas apoiados. Isto dá um toque moderno à decoração, dando liberdade para mudar e compor rapidamente um novo visual ao espaço. O mesmo pode ser feito com quadros grandes, só que ao invés das prateleiras, apoiados no chão.

Pé-direito alto

Por mais alto que seja o pé-direito, os quadros devem começar a ser colocados a partir de uma peça existente. Eles podem ocupar a parede inteira ou podem ficar só na parte de baixo.  A não ser que queira colocar um quadro maior ou vários quadros, aí sim, poderá atingir pontos mais altos do pé-direito. A relação não muda porque ela começa de baixo e não de cima. O quadro não precisa ter uma distância certa do forro e do teto.

Fotos: nasalacommaria, marcosecesarinteriores e livecreatingyourself, Revista Casa Vogue nº275, Revista DCasa nº 12, 16, 14 e 17, Revista Casa e Jardim

Colaboração: Fabianna Cavalcanti

+ ideias para quadros






Diariamente, recebemos vários comentários e emails pedindo dicas ou soluções para algum detalhe específico. Tentamos responder à maioria, mas é impossível atender a todos imediatamente. Então, se você deixou algum recadinho por aqui, ele será respondido ou um post será feito pra deixar tudo bem explicado!