Arquivo para museu - assim eu gosto: decoração e arquitetura
Memorial Plaza
Postado Por - 11 de setembro de 2011

Hoje, exatamente uma década após os ataques de 11 de setembro em NY, foi inaugurado um memorial em lembrança às 3 mil vítimas do atentado. O National September 11 Memorial and Museum, ou Memorial Plaza, é um projeto dos arquitetos norte-americanos Michael Arad e Peter Walker e ocupa uma área de 65 mil m² na região de Lower Manhattan, onde ficava o WTC.

O conjunto do memorial é composto por uma praça arborizada, duas imponentes fontes que ficam no local exato onde ficavam as Torres Gêmeas, um museu e o edifício One World Trade Center – projeto do escritório Skidmore, Owings & Merrill.

A fonte colocada no ponto onde se erguia uma das torres tem 50 m de largura e cascatas de 9 m de altura, que desaguam em um espelho d’água com um orifício central. Ao cair por esse orifício a água é levada para um reservatório com filtros e bombeada de volta para a cascata. Um sistema de aquecimento impede o congelamento da água no inverno.

No parapeito de bronze em torno da fonte estão registrados os nomes das 2.983 vítimas dos ataques. A queda dágua constante simboliza as vidas perdidas em 11/09 e a ausência permantente de cada uma delas.

O parapeito de bronze tem sistema de aquecimento e resfriamento para que se mantenha agradável ao tato, independentemente do clima. A disposição dos nomes das vítimas obedece um rigoroso esquema que agrupa pessoas que trabalhavam juntas nos escritórios das torres destruídas, por exemplo. Há também um sistema de iluminação especial em cada nome.

A praça tem sistema de coleta e reaproveitamento de água da chuva; em torno das árvores, placas de aço impedem que a terra seja pisoteada e compactada. Na praça com mais de 400 carvalhos brancos, o visitante tem a oportunidade de ver a Survival Tree, ou seja, árvore sobrevivente que resistiu à destruição das torres gêmeas.

O Museum Pavilion, projeto do escritório norueguês Snohetta (escolhido por concurso), tem características que lembram as torres gêmeas do WTC. Em seu interior ficam dois tridentes metálicos que compunham a fachada da antiga Torre Norte e foram resgatados dos escombros dos prédios. O edifício só estará concluído em setembro de 2012.

Vista aérea de como será o conjunto completo do Memorial e da região de Lower Manhattan, quando todas as obras de reconstrução da área estiverem concluídas, em 2015. As obras seguem ininterruptas, dos seis arranha-céus envolta do memorial, só um já está pronto, além de uma nova estação de transportes projetada pelo arquiteto Santiago Calatrava.

Dizem que essa reconstrução deve confirmar a ascensão definitiva do sul de Manhattan, com a chegada de grandes bancos e importantes empresas se instalando por lá, como o editorial Conde Nast , da revista Vogue.

*Obs: As imagens acima são todas perspectivas eletrônicas feitas para explicar o projeto, que peguei no site Uol. Como hoje de manhã foi a inauguração do memorial, já achei (no Uol, Globo e Terra) algumas fotos tiradas de lá, “de verdade! “, e mostram como está ficando o Memorial.

A praça com as árvores ainda pequenas. Li que elas ficaram 5 meses em estufas e que agora devem se desenvolver rapidamente.

Aqui dá pra ver melhor a proporção das pessoas em relação ao tamanho da fonte. Gigante, né?!

Detalhe do parapeito de cobre com os nomes gravados.

Olha como ficam os nomes a noite, iluminados no parapeito! Achei bem bonito!

 Quando fomos pra NY, há 4 meses, passamos no Marco Zero e só tinha um canteiro de obras, nem deu pra ver nada! 🙁 Da próxima vez quero ir conferir essa praça de pertinho! E vocês, gostaram do projeto?

Veja também: Dicas de NY





Museu Guggenheim NY
Postado Por - 09 de dezembro de 2010

Nós já falamos sobre museus aqui no blog e um dos que eu mais tinha vontade de conhecer quando fosse a Nova York, era o Museu Guggenheim, tanto por seu acervo, formado por importantes obras de arte, quanto pelo edifício, uma obra prima da arquitetura moderna. E realmente sua arquitetura é  impressionante, com suas curvas fluidas, a grande clarabóia central, e os pavimentos em forma de rampa, que nos convidam a caminhar por entre as exposições.

O museu foi criado e fundado por Solomon Robert Guggenheim, que imaginava um edifício capaz de abrigar as grandes transformações que a arte moderna representava e que fosse diferente de qualquer outro museu existente. Para isso, o arquiteto escolhido foi Frank Lloyd Wright, um dos arquitetos mais importantes do século XX. E apesar de ter sido inaugurado em 1959, é uma construção super atual.

O edifício é formado por planos ou camadas que dão a impressão de flutuar umas sobre as outras, mas na verdade é o formato de uma sutil espiral, e os planos formam uma rampa única, fluida e contínua.  A principal característica da obra são as formas puras e orgânicas, que dão unidade à obra estando presentes em várias partes e definindo espaços e fluxos.

A enorme clarabóia central forma um desenho lindo e proporciona uma iluminação natural difusa no átrio do museu. O edifício possui ainda clarabóias secundárias, formadas pelas divisões entre os planos. A iluminação proveniente delas favorece a circulação, mas não ilumina as obras de arte, que necessitam de uma iluminação própria que as destaque sem danificá-las.

Para quem gosta de arte e arquitetura, esse é um programa imperdível em Nova York. Além da arquitetura magnífica, estão expostas lá obras de grandes nomes do século 19 até os dias de hoje, como Chagall, Kandinsky, Paul Klee, Miró, Picasso, Van Gogh, entre outros. O museu não é muito grande, dá pra ver tudo em uma hora e a localização é privilegiada, na 5ª avenida com a rua 89, bem em frente ao Lago Jackeline Onassis no Central Park.

Fonte de pesquisa: Wikipédia. / Fotos: connectin.com, google images.

Veja mais no site do museu.

  • Museu Guggenheim – 1071 Fifth Avenue (at 89th Street) New York, NY.




Dia Internacional dos Museus
Postado Por - 18 de maio de 2010

Museus contam a história, são ótimas fontes de pesquisa e espaços de trocas culturais intensas. A arquitetura de um museu muitas vezes expressa a cultura de onde ele está inserido, outras, ela serve justamente para quebrar esse paradigma e contrastar com a realidade local.

Para homenagear o dia de hoje, selecionamos alguns museus com arquitetura bem moderna. Na maioria das vezes essas grandes construções são exemplos de novas expressões artistícas, sugerem novas linguagens, tornando-se pontos turísiticos para as cidades nas quais foram contruídos. Independente de seu acervo, a arquitetura em si já é a grande atração!

Museu Nacional de Brasília. Projeto de Oscar Niemeyer. Brasília sempre teve um espaço vazio em frente ao Teatro Nacional, faltava o Museu e a Biblioteca Nacional que foram inaugurados em 2006. Localizado na Esplanada dos Ministérios, possui 14,5 mil metros quadrados de área e forma de uma cúpula com 80 metros de diâmetro e três rampas externas.

Museu Oscar Niemeyer, em Curitiba. Projeto de Oscar Niemeyer. A edificação externa lembra um olho humano e impressiona pelas formas. É um dos maiores complexos de exposição do Brasil, com cerca de 16 mil m² destinados a obras de arte.

Museu de Niterói. Projeto de Oscar Niemeyer. Tornou-se um dos cartões-postais da cidade. O prédio tem 50 metros de diâmetro  e na sua construção foram consumidos 3,2 milhões m³ de concreto, quantidade suficiente para levantar um prédio de 10 pavimentos.  A sua estrutura consegue suportar um peso de cerca de 400 kg e ventos de velocidade de até 200 km/h.

Museu Guggenheim Bilbao, na Espanha. Projeto por Frank O. Gehry. É um dos cinco museus pertencentes à Fundação Guggenhein no mundo e hoje um dos locais mais visitados da Espanha. Seu projeto foi parte de um esforço para revitalizar a cidade e recebe visitantes de todo o mundo.

Museu Guggenheim em Nova York. Projeto Frank Lloyd Wright. Localizado em plena Quinta Avenida, a construção em forma de espiral rapidamente tornou-se uma referência na cidade. Conta com coleções permanentes de obras de Impressionismo e Pós-Impressionismo.

Royal Ontário Museum – ROM – Toronto, no Canadá. Projeto original de estilo neoclássico de Darling e Pearson. O conjunto originalmente era composto de 5 museus separados e em 2007 sofreu alterações com projeto de Daniel Libeskind e Haley Sharpe Design.

Pesquisa: Wikipédia. Fotos: divulgação.






Diariamente, recebemos vários comentários e emails pedindo dicas ou soluções para algum detalhe específico. Tentamos responder à maioria, mas é impossível atender a todos imediatamente. Então, se você deixou algum recadinho por aqui, ele será respondido ou um post será feito pra deixar tudo bem explicado!