Arquivo para Márcio Kogan - assim eu gosto: decoração e arquitetura
Assim eu gosto
Postado Por - 06 de novembro de 2014

Esses dias estivemos em São Paulo e numa voltinha no shopping JK Iguatemi (fomos ver a exposição do Escher!) entramos nessa linda loja de chás: Talchá. Tinha me esquecido o quanto este projeto é lindo e bem planejado, com a estante como o grande destaque: toda de madeira clara e com vários nichos de tamanhos variados que acomodam os chás, xícaras, chaleiras, potinhos… Os pendentes Allegro também chamam a atenção, são da Foscarini. Sem falar no aroma delicioso… #assimeugosto

Projeto Márcio Kogan.

+ estantes e nichos





Casa Cobogó
Postado Por - 04 de junho de 2012

Pra começar bem a semana, uma casa linda, projetada por Márcio Kogan. Ela foi batizada de Casa Cobogó porque esse elemento foi amplamente utilizado nas fachadas, permitindo a ventilação natural e formando lindos jogos de luz e sombra com a iluminação natural que incide sobre ele.

A arquitetura da casa é bem moderna, com linhas retas nas fachadas e espaços amplos e bem integrados com o exterior – característica típica dos projetos de Kogan. Além do cobogó, que ajuda nessa interação, foram usadas grandes esquadrias deslizantes de vidro e painéis sanfonados de treliça de madeira.

A piscina foi inspirada nos jardins japoneses e tem formato de lago. Outro ponto marcante da área externa é a jabuticabeira e ocupa um lugar de destaque, proporcionando uma bela paisagem.

O cobogó utilizado é assinado pelo escultor austríaco Erwin Hauer, autor de diversos modelos já patenteados. O efeito é belíssimo, né?

As esquadrias são enormes panos de vidro que deslizam permitindo abertura total da sala para o jardim. Repare que po piso da sala e da varanda é em ladrilho hidráulico.

Além do bonito efeito na fachada, eles bloqueiam a visão do ambiente interno, mas deixam passar ventilação e luz natural. Esse é um recurso inspirado no muxarabi da arquitetura árabe, e amplamente incorporado à arquitetura brasileira.

Detalhe dos painéis, que por serem sanfonados, permitem abertura total. Todo o piso do andar superior é de tábua corrida de madeira com veios bem marcados, muito lindo!

——> Veja também: Painéis vazados e Cobogó.

+ Casas





Estúdio de fotografia
Postado Por - 31 de agosto de 2011

Projeto de Márcio Kogan (Studio MK 27), em São Paulo.

Este estúdio especializado em fotografia gastronômica tem conceito moderno e minimalista, formado pelo desenho de uma grande e comprida caixa branca, com grandes portas de correr (metálicas com vidro branco), que quando abertas permitem a integração total do interior com o exterior.

Nas extremidades, dois volumes em madeira tauari atendem as necessidades do estúdio, deixando livre o grande salão central onde são feitas as fotos.

Na sala de fotos, o elemento de destaque do projeto é a passarela de concreto aparente (presa ao teto por tirantes) que liga os dois volumes em madeira. Na esquerda ficam a recepção e as salas de tratamento de imagem. Na direita, cozinha técnica e o estoque.

Vista com as portas de madeira fechadas.

A sala de edição das imagens.

No pátio das fotos ficam algumas estações de trabalho.

A cozinha técnica que fica no térreo.

A cozinha profissional que fica no piso superior.

A recepção.

Outra foto da recepção. Amei esse colorido!

Via: Arcoweb. / Mais fotos do projeto aqui.





Casa de praia em Paraty
Postado Por - 06 de março de 2010

Casa de praia em Paraty, Rio de Janeiro, projeto do arquiteto Márcio Kogan. Com este projeto de arquitetura e interiores, Kogan ganhou dois prêmios: o primeiro lugar no Leaf Awards 2009, um dos mais importantes prêmios de arquitetura da Europa, e o Design Awards 2010, da revista britânica Wallpaper, na categoria “Best new private house” (melhor casa).

A casa foi construída numa majestosa encosta no meio da Mata Atlântica, de frente para o mar, numa praia particular. Se o único acesso à casa é de barco pela praia, eu fico imaginando a dificuldade que foi para construí-la…

Em concreto e vidro com um belo desenho minimalista, são dois volumes de tamanho parecido, sobrepostos de forma desencontrada. No volume mais próximo do mar ficam o estar e os serviços; no outro estão os dormitórios.

A casa em si é simples, tendo como forma dois cubos empilhados abertos para o exterior, totalmente adequada à paisagem. Logo na frente da casa está a piscina e um amplo deck de madeira, ideal para tomar sol.

Dá pra ver que a piscina está praticamente na praia!

Amplas portas integram o exterior com o interior, que é bem minimalista, deixando como foco principal na vista de tirar o fôlego em todos os ângulos. Há peças novas criadas pelo escritório do arquiteto, o Studio mk27, alinhadas a peças modernas de Lina Bo Bardi, Sérgio Rodrigues e Zanine Caldas, que fazem parte da coleção particular dos jovens proprietários que são colecionadores de móveis brasileiros do século 20.

Diferentes materiais bem empregados: concreto aparente texturizado, vidro, pedra e madeira.

Detalhes do hall de entrada e o espelho dágua com uma passarela metálica. A cozinha com um pátio para trazer iluminação e ventilação natural (olha a bancada em silestone laranja!). A fachada da área dos dormitórios com fechamento em painéis retráteis de graveto de eucalipto que protegem do sol e perfumam o ambiente.

Sou fã número 1 do Márcio Kogan! Adoro aprender e admirar seu trabalho super contemporâneo, de uma plasticidade impressionante. São leves, simétricos e belos! Destacando sua intensa relação interior/exterior com aberturas sofisticadas em rasgos horizontais; o volume das suas “caixas” bem resolvidas; o tratamento especial nos percursos e circulações e a habilidade com o uso dos materiais, principalmente nas texturas.

Via Márcio Kogan. Fotos Trendir e Arcoweb.

+ projetos de casas / + fachadas





Cobogó
Postado Por - 11 de janeiro de 2010

Scott Schuman, o badalado fotógrafo do blog The Sartorialist, está no Brasil para o Fashion Rio. Suas fotos são sempre um sucesso por retratar (e ditar) tendências para o mundo inteiro.

Na foto publicada esta semana, o que mais me chamou atenção (além da bolsa maravilhosa e todo o estilo da moça!), foi o painel vazado que está logo atrás. O painel de cobogós com pintura branca e iluminação azulada criou um efeito muito legal!

tipos de cobogo

Cobogó é um tijolo vazado, um elemento totalmente brasileiro que foi criado em Pernambuco, e pode ser feito em cimento, cerâmica e até vidro. Funciona para fechamento ou divisão de ambientes permitindo a passagem de luz e ventilação. Tudo a ver com o mega calor que está fazendo no verão do Rio de Janeiro nessa época, não é?!

biblioteca publica brasilia

cobogo-predios brasilia

Em Brasília, vários prédios mais antigos da Asa Sul e Norte possuem cobogós nas fachadas, corredores ou áreas de serviço. Até mesmo a recente Biblioteca Pública Nacional, projeto de Oscar Niemeyer, tem as fachadas feitas com o material. Pode-se dizer que o cobogó é uma marca da cidade!

cobogo arquitetura

Fachadas feitas com 4 tipos de cobogó. Projeto Domo Arquitetos, Casa Cor Brasília 2008.

restaurante coco bambu brasilia

Cobogó pintado de preto e usado como se fosse um biombo para separar os ambientes. Restaurante Coco Bambu Brasília, projeto Raquel Fechina.

Dois tipos de cobogó isolam a sala de estar. Projeto André Alf para a Mostra Artefacto Brasília.

Fachada ma-ra-vi-lho-sa do Hotel Qing Shui Wan, na China. Observem que foi usado apenas um tipo de cobogó, mas a iluminação fez toda diferença!

Esta fachada tem a mesma ideia da anterior, mas neste caso o cobogó não é vazado. Loja Hi-Lo, em Belo Horizonte.

kogan2

O arquiteto Márcio Kogan criou o Cobogo Haaz,  uma versão mais moderna do cobogó feita em mármore branco para uma exposição na Turquia. Lindo demais!

Inspirações… parece mas não é!

casa cor sao paulo renda

Chapas de alumínio que reproduzem um desenho rendado foram aplicadas sobre uma grande caixa de madeira. Projeto Marcia Coelho para a Casa Cor São Paulo 2009.

fachada loja farm rio

Treliças de ferro que lembram o assento de uma cadeira de palha. Fachada da loja Farm de Ipanema, projeto Bel Lobo.

cobogo moderno

A fachada recria elementos da arquitetura árabe sob nova ótica, uma releitura dos muxarabies treliçados de madeira. Os diafragmas são metálicos e possuem aberturas em diversos tamanhos e formas geométricas que se abrem e fecham de acordo com as condições externas de luz, como se fossem uma câmera fotográfica.Instituto do Mundo Árabe em Paris, projeto do arquiteto Jean Nouvel.

CONTINUA AQUI






Diariamente, recebemos vários comentários e emails pedindo dicas ou soluções para algum detalhe específico. Tentamos responder à maioria, mas é impossível atender a todos imediatamente. Então, se você deixou algum recadinho por aqui, ele será respondido ou um post será feito pra deixar tudo bem explicado!