Arquivo para dicas de viagem - Página 2 de 3 - assim eu gosto: decoração e arquitetura
Rio de Janeiro {dicas}
Postado Por - 20 de setembro de 2011

A carioquíssima Thereza, do Fashionismo, fez um post muito bacana mostrando o Rio de Janeiro na visão dela, com ótimas dicas pra quem vai curtir o Rock`n Rio.

Inspirada na ideia, e já que estou sempre por lá, resolvi mostrar pra vocês o meu Rio, numa visão de quem não mora, mas frequenta a cidade desde pequena, e adora aproveitar cada segundo da cidade maravilhosa.

Considerando que moro em Brasília, vir pra um bairro onde se pode fazer tudo a pé é um privilégio. No Leblon, emendando com Ipanema, o melhor programa é caminhar descobrindo cada cantinho. Ao longo da Ataulfo de Paiva e da Visconde de Pirajá (e adjacências) se encontram a maioria das lojas – tanto as mais conhecidas como aquelas charmosérrimas que só tem no Rio. No caminho vale uma pausa para um suco de frutas feito na hora – adoro os do Bibi e os do Polis – ou um sorvetinho na Itália – o de torta alemã com doce de leite é uma perdição. Na Dias Ferreira, ainda no Leblon, restaurantes badalados dividem espaço com lojas descoladas e ateliês de artistas e estilistas.

 

O Rio de Janeiro concentra, sem dúvida, as mais lindas praias urbanas do mundo. A paisagem de Copacabana é deslumbrante,  mas o ambiente é mais turistão… Adoro a praia da Barra, mas como venho pra cá pra andar a pé, prefiro me dividir entre Ipanema e Leblon. Ali cada público tem seu espaço definido e a referência é a rua em frente ou o número do posto.  Não deixe de tomar o mate + limão do galão, é a bebida mais gelada da praia! A mistura é feita no copo, peça pra colocar um pouco mais de mate do que de limão.

A primeira coisa que eu faz quando piso no Rio é dar uma corrida na Lagoa. A volta completa é de 7,5km de um cenário maravilhoso, cuja vista que vai se transformando à medida que se avança. Dá pra avistar o Cristo Redentor, e pouco depois estar pertinho dele… Se você não corre, vale dar uma caminhada, alugar um bike, passear de pedalinho ou mesmo sentar em um dos quiosques em volta, o cenário vale a pena. Outro lugar pra passear ao ar livre off-praia é o Jardim Botânico. Lindo!

Como não gosto de boate, prefiro aproveitar a noite em algum dos milhares de botecos espalhados pela cidade. Dos meus preferidos, destaco o Informal, que tem ótimos petiscos. Mas se a ideia é um programa mais agitado,  não dá pra passar pelo Rio e não curtir a Lapa e lá, o Rio Scenarium é um lugar imperdível! De dia funciona um antiquário imenso e as peças à venda compõe a decoração dos três pavimentos. À noite ele se divide em ambientes: bar, boate, e um espaço pra show, onde sempre rola um samba de qualidade. Indico muito!

Adoro tomar um café da manhã caprichado antes da praia no Talho Capixaba. Para o almoço, indico o Gula Gula, que funciona num antigo casarão em Ipanema, ou dois self-service de altíssimo nível: o Da Silva, também em Ipanema, e o Fellini, no Leblon. Dessa vez conheci também o CT Boucherie, do Claude Troigros – você escolhe uma carne e os acompanhamentos vêm no rodízio. Ma-ra-vi-lho-so! Para um lanche rápido, o Bibi Sucos serve o melhor sanduíche de filé com queijo coalho da cidade.

O Rio é cheio de lojinhas charmosas espalhadas pela cidade. Mas ultimamente conheci a Poeira, uma loja de design selecionado na Dias Ferreira, e o Depósito Santa Fé,  em São Conrado, onde se encontram móveis de madeira de demolição e muita coisa linda com preços legais. Também gosto muito da Velha Bahia, no Shopping da Gávea, e de garimpar antiguidades na feira da praça Santos Dumont e na Rua do Lavradio, no centro (onde fica o Rio Scenarium).

* As fotos da Lagoa e do Rio Scenarium foram buscadas no Google Images. As demais foram tiradas por mim.

 Gostaram das dicas? Sugestões são bem-vindas nos comentários!

Veja também: Rio na decoração





Inspiração Zen
Postado Por - 25 de junho de 2011

No fim de semana passado conheci a Chapada dos Veadeiros, um lugar perfeito para contemplar a natureza e sair da rotina. Situada ao norte do cerrado goiano, fica a 230 km de Brasília e é roteiro comum do pessoal da cidade. Ficamos na Vila de São Jorge, que fica no coração da Chapada, perto do Parque Nacional e de várias outras cachoeiras lindíssimas.

A vila é pequena e simples, com várias opções de pousadas e restaurantes, tudo bem natural e rústico. A iluminação é moderada, com predomínio de velas e “meia-luz”, o que cria um clima aconchegante e ressalta o céu estrelado, sem falar na Lua Cheia que estava linda!

Inspirada no que vi por lá – decoração rústica, iluminação a luz de velas, lareiras, fogueiras, redes nas varandas, decks de madeira, bangalôs, áreas de lazer com piscinas e hidromassagens – separei alguns ambientes onde o clima zen prevalece, tudo para se desfrutar a vida ao ar livre e em contato com a natureza. NÃO são fotos de lá, até porque a cidade é bem simples, mas são lugares lindos que dão vontade de passar algumas horinhas…

OBS: Para quem se interessar em conhecer a Chapada, as melhore$ pousadas são a Baguá e a Casa das Flores (vale conhecer o restaurante de lá). O Restaurante da Nenzinha é o mais tradicional e não perca a pizza da casa da Pizzaria Lua de São Jorge, é uma delícia! Aqui tem um site com mais informações.

Na Casa Cor Brasília 2007 fizemos o Espaço Zen, uma varanda para descansar e receber os amigos, tudo com conforto e num clima gostoso, com lareira, velas, música relax… —> veja mais fotos aqui.

Esta “estufa” é um espaço de descanso feito com materiais ecológicos como teto de bambu e madeira de reflorestamento, piso cimentício e detalhes em pedra. O toque despojado fica por conta dos balanços de fibra natural e madeira com almofadas feitas de tecidos reciclados. Projeto Adriana Fernandes Consulin, revista Dcasa.

Nesta varanda o estilo natural fica ainda mais evidente com a iluminação a luz de velas e a vegetação invadindo o ambiente. (ikea)

A mesa de madeira de demolição fica sob um pergolado pertinho da natureza. Que delícia uma refeição num lugar como este! (delight by design)

Um bangalô com sofá e almofadas coloridas, ideal para juntar a galera! (house of turquoise)

E para contemplar o céu estrelado, uma lareira ao ar livre e sofás confortáveis. (Brechtel Architecture)

Muitas velas! Aqui elas foram colocadas sobre uma prateleira em gaiolas e em copinhos de vidro colorido. (style me pretty)

Neste quarto, tudo num clima zen, como a cama de ferro com lençóis coloridos, as cortinas e os detalhes em dourado. Eu adorei! (schoener-wohnen)

Outro quarto zen, mas aqui o preto e o dourado predominam, num estilo mais oriental. (decor8 )

Esse cantinho de relaxamento tem parede em tijolo aparente com janela redonda, futon em algodão e luminárias de papel. Via Arquitetura e Construção.

Veja também: Qual o seu estilo de decoração?





Dicas de NY
Postado Por - 26 de maio de 2011

** diário de viagem **


Inesquecível, essa é a melhor definição para esta viagem. Foram 16 amigas de infância realizando um sonho muito antigo: viajar juntas pra NY, sem namorados, maridos, filhos… apenas a mulherada celebrando a amizade!

Foi tudo perfeito, poucos imprevistos e nenhum grande problema. Considerando que o grupo era grande e heterogêneo, vou dar algumas dicas de New York  que, na verdade, são um resumo do que mais (ou menos) gostamos.

*Planejamos com 6 meses de antecedência, assim a maioria conseguiu tirar as passagens com milhas, as primeiras por 40 mil e depois por 60mil. Quem comprou pagou uns R$ 2400,00.

*Fomos num vôo diurno da Tam que sai de SP as 8 da manhã, mas para chegar a tempo, saímos de Brasília muito cedo e passamos o resto do dia cansadas. Além disso, a quantidade de comida servida foi mínima e ruim, passamos fome! Quando chegamos, a surpresa: 7 das 18 malas não apareceram! Passamos 1 dia sem nenhuma ajuda de custo e pouca informação, mas as malas foram entregues sem problemas no hotel.

*Ficamos hospedadas no Flatotel, a diária em quarto quádruplo saiu por U$82 pra cada. É bem localizado, perto da Time Square, da 5ª avenida e do Central Park. Dele íamos andando pra tudo. O pessoal da recepção merece destaque, são super educados e atenciosos. Tem café da manhã incluso, mas em 3 dias ninguém agüentava mais pois a variedade é pequena. Aí descobrimos o Cafe Duke (na frente) que nos salvava também nos lanches rápidos. (Mais dicas de hotéis em Ny aqui)

*Fechamos os grandes traslados com o Cloer, um brasileiro que mora por lá há 15 anos e tem uma empresa de vans. Super recomendo os seus serviços, ele até colocou a música “New York, New York…” quando chegamos em Manhatan, emocionante! Do aeroporto JFK até o hotel saiu por U$25. Ele também nos levou ao outlet por U$50 ida e volta.

*O melhor investimento da viagem: cada uma alugou (ou já tinha) um rádio da Nextel. Assim todas tinham liberdade e independência para fazer ou ir pra onde preferia. Funcionou super bem, mesmo quem nunca tinha usado aprendeu rapidinho e o rádio foi um sucesso! Pagamos antecipado R$ 16 por dia.

*Lembre-se: maio é baixa temporada, então os custos ficam mais baixos, mas chove muito! Compramos uma galocha e resolvemos o problema! kkkk

*Assisitir uma peça da Brodway é obrigatório! O Fantasma da Ópera é o clássico, mas como várias já tinham assisitido escolhemos o Rei Leão e amamos! Compramos antecipado pelo Ticket Master para garantir todas na mesma fileira, pra quem quiser arriscar pra comprar por lá indico o TKTS que fica perto do Pier 17, lá as filas são bem menores que o da Time Square e você encontra ingressos por até 70% off. Algumas assistiram Mary Poppins e disseram que foi até mais bonito que o Rei Leão, tem muita dançca e os cenário são incríveis. #ficaadica

*Fizemos um city tour da Gray Line que mesmo pra quem já conhece a cidade vale a pena, pois passa pelos principais pontos turísticos e dá para descer e depois pegar o próximo ônibus, eles passam mais ou menos a cada 15 minutos. Fizemos a linha verde, o ingresso vale 24hs e custa U$44. Para quem não quer pagar para ir na Estátua da Liberdade, dá para descer perto do porto e pegar uma balsa free que passa bem pertinho.

*Quem tem curiosidade pra saber como está o lugar onde era o WTC nem precisa ir até o local, já está quase tudo reconstruído e onde ficava um enorme buraco agora é apenas um canteiro de obras cheio de guindastes.Vários prédios já estão prontos ou quase prontos. ATUALIZAÇÃO: Já tem novidades por lá! Eu iria conhecer…

*Para quem estiver no aperto, o MET (Metropolitan Museum) tem uma opção de entrada que você paga o quanto quiser (e puder) para entrar. Quem tem carteirinha de estudante paga meia entrada e nem precisa apresentá-la, é só falar na hora de comprar. Mas o que eu mais amei no MET foi a exposição do Alexander McQueen! Uma pena que é temporária, mas tivemos a sorte de estar por lá na época certa e valeu super a pena. Eu já conhecia o trabalho dele e fiquei encantada ao ver ao vivo a qualidade das suas peças.

*O Chelsea Market é lindo, é uma galeria criada numa antiga fábrica de biscoitos e tem várias lojinhas fofas, recomendo o café da manhã na Amys Bread,  o brownie da Fat Witch e depois um passeio pela Anthropologie de lá, que é linda!

*Se tiver tempo, faça um passeio pelo Brooklyn. Atravessamos a ponte andando, descemos pela Old Fulton Street e fomos ao Brooklyn Bridge Park que fica na beira do rio, o lugar é lindo e tem uma bela vista da skyline de Manhattan (aquela que antes dava pra ver as torres gêmeas). Não perca a pizza da Grimaldis e o sorvete da Ice Cream Factory, mas prepare-se pra esperar em filas enormes! Também nos recomendaram o The River Café.

*O ABC Kitchen (Union Square) foi disparado o melhor restaurante! Fomos no almoço, a comida estava deliciosa, o ambiente tem um clima super descontraído e bom custo/benefício. Em segundo lugar ficou o jantar no Jojo (East Side), um restaurante bem pequeno e com comida maravilhosa. Nos dois tem que fazer reserva!

*Tem que ir: fim de tarde no Standart Hotel (Meatpacking)! O bar fica na cobertura do hotel e é maravilhoso, vale a visita pois o lugar é lindo. O banheiro é todo de vidro, uma experiência, no mínimo, divertida! O restaurante que fica embaixo também é bem gostoso.

*O Pastis (Meatpacking) foi super recomendado para um brunch, só conseguimos ir jantar e não achamos nada demais, o ambiente é bem gostoso e descontraído, o atendimento foi ruim.  O Barolo (Soho) também deixou a desejar, fomos bem atendidas, mas a comida foi normal. Perto do nosso hotel ficava o Il Gattopardo (Midtown) também não gostamos, saímos com as roupas cheirando gordura!

*O Carmines (Midtown) é do tipo baratex. Os pratos são enormes e servem 4 pessoas, a comida não é aquela perfeição mas vale o preço. O restaurante é animado e funciona bem pra grupos, mas tem que fazer reserva!

*Dica de rua: os hamburgueres do Shake Shack são super famosos em NY, fomos no da Madison Square e amamos! Também tem um perto da Time Square, uma boa pedida para depois de assistir alguma peça.

*O empório Dean & Deluca é uma delícia, o brownie foi considerado (por algumas) melhor que do Fat Witch. O Bouchon foi outro empório que nos surpreendeu, achamos os sanduíches de lá até mais gostosos que do Dean & Deluca. Os cupcakes da Magnolia Bakery decepcionaram, ninguém amou…

*Outros restaurantes que nos indicaram mas não conseguimos ir: Bar Pitti, La Esquina, Serafina.

*Ipad é na loja da Apple ao lado do Chelsea Market, nem adianta ir em outra pois as filas são enormes e quase nunca tem. É impressionante a procura e o desespero das pessoas, na Apple da 5ª avenida as filas começam às 5 da manhã!

*O outlet de Woodbury não é fundamental. Fomos num dos primeiros dias da viagem e o resumo é: quase tudo o que você encontra por lá tem na Century 21 e na Macys. Claro que lá é mais organizado, pois cada loja fica separada, mas para quem está sem tempo ou não quer pagar pra ir até lá, não faz tanta falta. Dica: para quem está montando enxoval de bebê, a Tommy e a Ralph Lauren do outlet são excelentes! Outra coisa: leve a sua mala, outlet sem mala é muito cansativo, ficar carregando aquele monte de sacolas só atrapalha.

*O Century 21 foi um sucesso, todas nós fizemos excelentes compras por lá! Eu já tinha ido em outra viagem e nem tinha gostado, mas dessa vez encontrei muita coisa boa. A dica é chegar cedo pois a loja está menos bagunçada e fica mais fácil encontrar o que procura. Vale muito: lençol (tem de 1000 fios por $110) e malas (as malas da Samsonite estavam bem mais baratas que na loja do outlet).

*Para comprar produtos de beleza e outros itens de farmácia, vá primeiro na Bed Bath Beyond, os preços estão menores que nas farmácias (Duane Read e Walgreens). Não tem de tudo, mas o que tem vale a pena. Produtos pra o cabelo é na Rickys, claro!

*A Tiffany não é inacessível, sabia? No terceiro andar da loja da 5ª avenida ficam as peças de prata e tem colares com pigente de coração por $100.

*A loja da Abercrombie e da Hollister da 5ª avenida tem uma fila enorme na porta, vivem lotadas! Uma dica é ir na loja da Abercombrie do Pier 17, bem mais tranquila.

*A loja de brinquedos da FAO é uma delícia! Apesar da idade avançada (kkkk) fomo lá brincar no famoso piano gigante do filme Quero ser Grande. Para as mamães, também vale passar na Toy R Us.

*Lojas para casa são muitas, recomendo a Pottery Barn (tem enfeites lindos), a West Elm, a Jonathan Adler (mais moderninha), a Crate and Barrel, a Anthropologie,… A Bed Bath and Beyond tem tudo que se possa imaginar para casa. No Woodburry vale uma entradinha na Ralph Lauren Home e na Le Gourmet Chef.

*Pra quem está em busca de lojas mais vazias, a região da Union Square é uma boa pedida, tem todas as melhores lojas só que menos frequentadas por turistas.

** deixem suas dicas nos comentários **

UPDATE: Meu irmão me lembrou de uma dica preciosa: as compras feitas pela Amazon! Uns 10 dias antes da viagem, mandamos um email para o hotel perguntando se eles aceitavam compras feitas pela internet. Como a resposta foi positiva, compramos muita coisa pelo site e mandamos entregar no hotel. Os preços são melhores e todas chegaram direitinho. Mas é importante mandar colocar na compra o nome de quem está na reserva do quarto, para não ter erro na entrega. Isso facilitou muito para as encomendas, pois não tinha o trabalho de ir atrás, foi só pegar e colocar na mala! Só tome cuidado para não dar espaço para “pessoas abusadas” e se deparar com caixas gigantescas na recepção do hotel… #dicadeamiga





Museu Guggenheim NY
Postado Por - 09 de dezembro de 2010

Nós já falamos sobre museus aqui no blog e um dos que eu mais tinha vontade de conhecer quando fosse a Nova York, era o Museu Guggenheim, tanto por seu acervo, formado por importantes obras de arte, quanto pelo edifício, uma obra prima da arquitetura moderna. E realmente sua arquitetura é  impressionante, com suas curvas fluidas, a grande clarabóia central, e os pavimentos em forma de rampa, que nos convidam a caminhar por entre as exposições.

O museu foi criado e fundado por Solomon Robert Guggenheim, que imaginava um edifício capaz de abrigar as grandes transformações que a arte moderna representava e que fosse diferente de qualquer outro museu existente. Para isso, o arquiteto escolhido foi Frank Lloyd Wright, um dos arquitetos mais importantes do século XX. E apesar de ter sido inaugurado em 1959, é uma construção super atual.

O edifício é formado por planos ou camadas que dão a impressão de flutuar umas sobre as outras, mas na verdade é o formato de uma sutil espiral, e os planos formam uma rampa única, fluida e contínua.  A principal característica da obra são as formas puras e orgânicas, que dão unidade à obra estando presentes em várias partes e definindo espaços e fluxos.

A enorme clarabóia central forma um desenho lindo e proporciona uma iluminação natural difusa no átrio do museu. O edifício possui ainda clarabóias secundárias, formadas pelas divisões entre os planos. A iluminação proveniente delas favorece a circulação, mas não ilumina as obras de arte, que necessitam de uma iluminação própria que as destaque sem danificá-las.

Para quem gosta de arte e arquitetura, esse é um programa imperdível em Nova York. Além da arquitetura magnífica, estão expostas lá obras de grandes nomes do século 19 até os dias de hoje, como Chagall, Kandinsky, Paul Klee, Miró, Picasso, Van Gogh, entre outros. O museu não é muito grande, dá pra ver tudo em uma hora e a localização é privilegiada, na 5ª avenida com a rua 89, bem em frente ao Lago Jackeline Onassis no Central Park.

Fonte de pesquisa: Wikipédia. / Fotos: connectin.com, google images.

Veja mais no site do museu.

  • Museu Guggenheim – 1071 Fifth Avenue (at 89th Street) New York, NY.





Diariamente, recebemos vários comentários e emails pedindo dicas ou soluções para algum detalhe específico. Tentamos responder à maioria, mas é impossível atender a todos imediatamente. Então, se você deixou algum recadinho por aqui, ele será respondido ou um post será feito pra deixar tudo bem explicado!