Arquivo para construção e reforma - Page 4 of 6 - assim eu gosto: decoração e arquitetura
Escadas (2)
Postado Por - 04 de abril de 2011

—–> continuação de Escadas (1)

13 – Escada em estrutura metálica com degraus em madeira e guarda-corpo em vidro. Destaque para os 3 primeiros degraus que são diferentes dos outros e já formam o móvel da tv, adoro esta ideia! Foto: Contemporist.

14- Escada em estrutura metálica pintada de branco, degraus em mármore e guarda-corpo em vidro. Apesar de estar no meio da sala, não pesou no ambiente, é leve e bonita! Foto: Sarah Klassen.

15 – Escada toda em madeira, sem patamar intermediário e sem guarda-corpo. É perigosa e só funciona porque é num loft, ou seja, casa sem criança!

16 – Escada metálica que parece uma dobradura de papel. A viga de apoio, em vez de ficar no meio, foi pré-moldada na lateral oposta da peça. Projeto Marco Antônio Marini.

17- Escada metálica parecida com a anterior, mas aqui a viga de apoio é central. Foto: Casa e Jardim.

18 – Outra escada metálica com uma viga de apoio central. Mas aqui ela possui um guarda-corpo feito de tela metálica que ficou bem leve e já oferece segurança. Assim como na primeira foto, os primeiros degraus são diferenciados e em madeira. Foto: Desire to Inspire.

19 – Escada em alvenaria com degraus revestidos em madeira. O guarda-corpo ficou apenas em uma das laterais, que também recebeu iluminação com balizadores. Projeto: Roberto Negrette.

20 – Escada em alvenaria com degraus em madeira e guarda-corpo metálico. A parede do fundo ganhou destaque com a pedra filetada escura. Projeto: Feldman Architecture.

21 – Escada em alvenaria revestida em mármore Travertino e com guarda-corpo em vidro. O primeiro degrau é diferenciado e serve de apoio para o móvel da tv. Projeto Paula Neder e Alexandre Monteiro, via Casa Mix.

22- Escada em madeira com guarda-corpo em vidro e iluminação tipo led na parede. / 23 – Escada em madeira com guarda-corpo também em madeira. Via: Tudo é dimais.

24 – Escada simples e minimalista, toda em madeira, no meio da sala. Projeto Roberto Migotto.

25 – Escada em alvenaria com desenho parecido com a anterior. Aqui o acabamento escolhido foi o mesmo do piso, acho que é vinil. Via: Muses of Design. 

26 – Escada helicoidal em concreto pré-moldado e guarda-corpo metálico. Solução que ocupa pouco espaço e deixa o ambiente descontraído. Via: Casa e Jardim.

27 – Escada toda de vidro, moderna e diferente! O primeiro degrau é em madeira e tem iluminação embutida. O guarda-corpo é uma peça de vidro que vai do piso ao teto. Gostei!

CONTINUA AQUI





Fachadas de casas sem telhado (2)
Postado Por - 22 de fevereiro de 2011

——>continuação de Fachadas de casas sem telhado 1

alessandro-da-matta-fachada-00

Nº 15  – Volumetria interessante destacada pela iluminação especial, pelo piso em pedra portuguesa e pelo paisagismo. Projeto Alessandro da Matta.

Nº 16 – Casa minimalista com fachada em concreto aparente e madeira ripada. Projeto Axelrod Architects.

Nº 17 – Fachada formada por pórticos com pintura branca + detalhes em madeira ebanizada.

Nº 18 – Fachada com volumetria bem trabalhada em linhas retas, destaque para a porta de entrada pivotante que tem 4,30m de altura. Os degraus que dão acesso à casa ficam soltos em balanço e dão a sensação de leveza. Projeto Ana Paula Munhoz e Gabriella Saback, foto Edgard César.

Nº 19 – Casa toda branca com platibanda cinza na entrada que começa na porta principal e segue como teto da garagem. Projeto Ana Lídia Diniz, foto Van Lima.

Nº 20 – Fachada com volumes retos e pórticos com pintura marrom. O telhado inclinado não me agrada, mas mesmo assim achei o desenho interessante. Projeto Giovanna Diniz e Michelle Rodrigues Mourão.



fachadas-modernas

Nº 21 – O terreno em declive definiu o projeto. Para garantir privacidade, a garagem fica no subsolo, com portão em madeira. Sobre ela fica a área de lazer, que tem sombra garantida pela grande parede branca da lateral da casa.Projeto ARQ URB.

Nº 22 – A fachada é marcada por linhas retas e formas geométricas, com acabamentos texturizados e brises que se sobrepõem à grande lâmina de vidro. Projeto Kerley Melo, foto Paulo Rezende.


Nº 23 – A fachada formada por pórticos brancos com detalhes em madeira e vidro, emoldurados pela natureza. Projeto Fernando Galvão e Luci Costa, foto Clausem Bonifácio.

fachadas-de-casas2

Nº 24 – A área de lazer é voltada para a frente da residência e disfarçada pelo paisagismo. A fachada contemporânea tem pórtico com painel de venezianas de madeira e um pergolado que protege a porta de entrada e enriquece a volumetria. Projeto Eduardo Bittar e Karla Bittar, foto Marco Aurélio Zapp.


Nº 25 – A casa em estilo mais clássico, com acabamentos em mármore Crema Marfil na marquise, pilares e escada de acesso. Projeto Giovanna Diniz e Michelle Rodrigues Mourão.

Nº 26 – A fachada principal está voltada para a rua de nível mais alto e o acesso é feito pela passarela metálica branca. Na fachada dos fundos permanecem os mesmos acabamentos, como a pintura bege com frisos em baixo relevo e o painel de vidro fechando a escada. Projeto Paulo Faccio.

CONTINUA AQUI

 + ideias para fachadas aqui





Detalhes de fachadas
Postado Por - 24 de janeiro de 2011

Uma das grandes dúvidas de quem está construindo ou reformando a casa é na hora de definir os acabamentos da fachada.

Em alguns casos, o que é o ideal, o projeto da casa já foi pensado com alguns recursos favoráveis à fachada, com esquadrias, vãos e aberturas que contribuem para um desenho mais interessante. Outras vezes, o desenho não tem grandes atrativos, e a fachada deve ser resolvida com outros elementos que dão charme e beleza.

Defina algum ponto de partida. Veja muitos projetos e descubra qual o seu estilo e as características que mais te agradam. Sua casa vai ou não ter telhado aparente? Para mim, esta escolha já define alguns itens. Casas com telhado geralmente são tradicionais, clássicas ou rústicas. Casas sem telhado são mais contemporâneas, modernas ou minimalistas. Não é regra definida, mas é maioria.

Independente da sua escolha, existem vários tipos de acabamentos possíveis para todos os estilos. Os mesmos materiais podem ser usados de maneiras diferentes criando efeitos surpreendentes. Neste momento a minha preferência está nas diferentes texturas (pintura , textura, pedra, tijolinho, madeira) usadas com iluminação direcionada.

Selecionei algumas imagens com ideias para te inspirar e deixar a sua casa ainda mais bonita!

Tijolinho aparente na fachada inteira com iluminação de baixo + porta de madeira + pórtico com pintura branca + detalhes em pedra empilhada. Projeto Márcio Kogan, via site.

Pórtico em tijolo aparente + esquadrias em madeira que quando fechadas formam um painel cego. Lindo efeito, parece um que mostramos aqui! Projeto Márcio Kogan, via site.

A cobertura de acesso a porta principal recebeu acabamento em madeira ripada e vidro. A parede em concreto aparente tem frisos marcados e iluminação no piso, o que destacou ainda mais o material. Projeto Nave Arquitetos Associados, via site.

——–> A textura no concreto aparente resulta da utilização de fôrmas feitas com tábuas de pínus de diferentes tamanhos e espessuras. Uma camada de silicone garante acabamento e proteção ao material.

Uma solução interessante para quem prefere a privacidade e a segurança da fachada toda fechada. Aqui a fachada é de aço cortén com um portão que dá acesso a um hall de entrada com o muro é em pedra empilhada + piso em madeira + vegetação bem escolhida + iluminação no piso. Projeto Bernardes e Jacobsen, via site.

——–> Um outro projeto dos mesmos aquitetos e com a mesma ideia: uma moderna casa em São Paulo.

Casa com fachada composta por vários caixotes revestidos em madeira. Numa das fachadas a madeira aparece na face externa; na outra, aparece em todas as faces internas (teto, parede, piso). Projeto Isay Wenfeld, via site.

Nesta varanda a fachada é em tijolo aparente + esquadrias em madeira ripada com tamanhos parecidos + pórtico em madeira.  Projeto Raul Penteado, foto revista Casa Mix.

Casa com fachada toda branca e alguns detalhes em madeira, formando uma faixa. Na foto mais de perto deu para ver que alguns detalhes foram feitos com frisos em baixo relevo. Projeto Aline Cangussu e Mário Figueiredo, revista Casa Mix.

Vários volumes e vários acabamentos: pintura branca + pintura vermelha + concreto aparente. Projeto Alice Martins e Flávio Butti, revista Arquitetura e Construção Dez. 2010.

Este é um caso que o projeto por si só é lindo e que seria difícil deixar esta fachada feia! Mas o tchan ficou por conta do acabamento escolhido: acho que é mármore travertino bruto assentado como tijolinho. Foto: Arch Daily.

Duas casas estreitas e geminadas com acabamentos parecidos: esquadrias em madeira + pintura tipo concreto aparente. Projeto Nave Arquitetos Associados, via site./ Projeto Ana Spina, site Casa.

Um belo painel de madeira foi colocado na parede e no teto deixando a área da churrasqueira super valorizada. Foto Contemporist.

A casa de praia em Paraty teve uma das fachadas feitas em concreto aparente texturizado. Projeto Márcio Kogan.

O frontão e as colunas, típicos do estilo neoclássico, dão imponência à fachada da casa. Projeto Roberto de Pace, foto revista Casa Mix.

.

+ fachadas aqui





Piscinas 1
Postado Por - 29 de novembro de 2010

Cada vez mais acessível, ter uma piscina em casa deixou de ser um sonho distante. Existem muitas opções prontas (de fibra de vidro) disponíveis no mercado e também vários tipos de acabamentos para quem quer construir. Antes de começar uma obra, avalie não só o custo da construção, mas também a manutenção. Pouco adianta ter uma piscina em casa, se ela não estiver sempre limpa e com a água tratada.

Localização – O melhor lugar para construir a sua piscina é no lado Poente do terreno, ou seja, onde o sol se põe. Caso você não tenha essa opção, escolha ao menos um local onde o sol bate por mais tempo no período da tarde. Assim, a casa não faz sombra na água e todo mundo vai poder usufruir muitão sem passar aquele friozinho que dá quando o sol vai sumindo…

Tamanho – A proporção é fundamental. Se você não tem espaço sobrando, não exagere no tamanho da piscina para não perder a área de lazer do seu terreno. Em casos de pouco espaço, opte por um spa com hidromassagem ou banheiras tipo Jacuzzi.

Piscinas-Pequenas

Casa com piscina pequena com hidromassagem

Formato – Na área escolhida, o formato deve ser proporcional ao tamanho do terreno e ao espaço disponível. Podem ter diversos desenhos, com formas retas ou orgânicas. Atualmente, a piscina tipo raia também conquista muitos adeptos por não ocupar muito espaço e servir para a prática da natação.

Podem ser: retas (irregular, quadrada, retangular, raia) ou orgânicas ( irregular, redonda, oval, feijão).

Estrutura – Uma empresa especializada ou um Engenheiro são os mais indicados para ajudar na definição do tipo de estrutura. Deve-se considerar o tipo de solo e as condições do terreno, evitando futuros problemas. As de concreto são as mais caras, mas também as mais seguras com relação às infiltrações.

Podem ser: concreto, concreto + vergalhões de ferro, concreto apoiado em pilares, argamassa + ferro, alvenaria estrutural.

Impermeabilização – Cuide para que durante a obra seja feita uma boa impermeabilização. Para evitar infiltrações, uma estrutura bem feita já é um bom ponto de partida.

Profundidade – Antigamente, eram comuns piscinas grandes e beeem profundas. Hoje, a profundidade diminuiu deixando-as mais confortáveis para o uso e também mais econômicas. A natureza agradece! #sustentável

* Lembre-se: a água fica uns 10cm abaixo da borda.

Piscina convencional (150cm) – É a mais tradicional, a água fica no pescoço. É usada para nadar, mas para “pular de ponta” deve ter 180cm.

Piscina familiar (120cm) – É uma piscina para ficar conversando, curtindo a família e os amigos. Considero a profundidade prática e uma das que mais gosto. O nome fui eu que inventei! kkkk

Piscina infantil (90cm) – É a profundidade tradicional para crianças.

Prainha (50cm) – Serve para adultos e crianças, é aquele degrau que dá para sentar e ficar conversando. Lembram da piscina do Big Brother? Pois é, já tive clientes que me pediram com esse nome!

Lava-pés (30cm) – É a profundidade que também serve para colocar as cadeiras de tomar sol, fica uma delícia!

* Essas são apenas sugestões de profundidade, não existe uma regra específica.  É claro que você não precisa ter todas elas numa piscina só, veja a que mais de adequa ao seu uso e seu gosto.

Revestimentos – São muitas opções e aqui o custo pode definir a escolha. As pastilhas de vidro são as mais bonitas e também as mais caras, mas quanto menor o tamanho, maiores as chances de descolar, por isso a mão de obra deve ser de qualidade.  Minha escolha pessoal é a pastilha cerâmica, mais barata e também muito bonita.

Podem ser: cerâmica, azulejo, pastilhas cerâmicas (Atlas, Jatobá), pastilha de vidro (Vidrotil, Colormix), vinil.

Cores – A cor azul é a mais usada, variando de claro a escuro. Observo uma tendência com piscinas de uma cor só em tons mais escuros, que eu gosto muito! Vi também algumas piscinas esverdeadas, mas acho que combinam num contexto mais natural, em lugares inseridos na mata…

Piscina Hotel Unique

A piscina vermelha do Hotel Unique, em São Paulo, fica na cobertura do edifício e é conhecida pela sua origialidade. Projeto Rui Othake.

Bordas e pisos – O mais adequado é que a borda e o piso ao redor da piscina sejam antiderrapantes, como as pedras naturais, os cimentícios e os porcelanatos antiderrapantes.

As pedras naturais – granito, mármore, quartzo, pedra goiás – são mais acessíveis e muito utilizadas, mas esquentam ao sol e precisam ser apicoadas ou boleadas (acabamentos para arredondar as quinas). Podem ser: granito apicoado (cores claras) , mármore Travertino Romano Bruto ou Bege Bahia Bruto, mármore Branco Especial jateado, pedra São Tomé.

Os cimentícios – Solarium, Castelatto – são materiais mais modernos, possuem alta resistência, são atérmicos (não esquentam ao sol), têm várias opções de cores (para locais expostos ao sol, prefira as cores claras, como o areia e o bege) e de curvas para bordas de piscinas (a borda em formato de peito de pombo impede que a água transbordada volte para dentro da piscina). Ainda recebem um tratamento antifúngico e contra aformação de limo. Eu recomendo!

A madeira – ipê, maçaranduba – é muito usada para piso de deques. Deve ser tratada e exige manutenção constante, mas o efeito é lindo e vale o sacrifício!

* Bordas muito usadas ultimamante:  borda infinita, prainha (borda inclinada) e degraus submersos.

Iluminação – Um bom recurso para deixar a sua piscina ainda mais bonita é uma iluminação planejada, com pontos de led azul espalhados no seu interior. O planejamento deve ser feito ainda na fase de obra, depois só se a iluminação vier de fora.

piscina com iluminacao de led
Piscina tipo raia com iluminação embutida nas laterais. Projeto Márcio Kogan.

Aquecimento – Não adianta uma super piscina, um trabalhão para mantê-la limpa e ninguém para usá-la… Aquecer pode ser a solução! Os aquecedores prolongam o uso da piscina durante todo o ano, a qualquer hora e em qualquer estação.

Paisagismo – A mistura de água e verde é sempre uma delícia! Um paisagista é capaz de transformar a região envolta da piscina num lugar ainda mais completo e gostoso. Não é aconselhável construir a piscina em locais que possuam pinheiros, eucaliptos e árvores frutíferas (elas soltam folhas com frequência).

pisc-3

Piscina grande em pastilha azul escura com raias marcadas no fundo + borda e piso em mármore claro antiderrapante. Achei interessante o detalhe da escada que desce para a sauna com guarda corpo de vidro.

O mesmo piso cimentício foi usado na borda da piscina que é inclinada, tipo praia. Adoro este efeito!

Piscina em pastilha cerâmica azul escura + prainha mais clara + borda inclinada com grelha coberta por seixos brancos. Aqui também tem uma hidromassagem com borda de madeira.

Piscina com borda infinita e piso + borda + grelha em cimentício clarinho. Projeto Affonso Risi.

Piscina na beira da praia em pastilha de vidro azul escura (Glass Mozaik azul) com bordas altas revestidas no mesmo material. O deck de madeira ocupa quase todas as laterais, no resto é grama. Projeto João Armentanno.

Piscina em pastilha cerâmica + prainha + vários degraus internos.

Piscina pequena + prainha + degraus internos. A borda e o piso são em mármore claro apicoado. Projeto Tânia Camara e Eduardo Pagotto.

Piscina super bonita toda em pastilha de vidro com bordas em mármore branco e deck de madeira.  Olha o lava-pés com espaço para as espreguiçadeiras, adorei! Projeto Sidney Quintela.

Piscina tipo raia

Piscina coberta, revestida em pastilha azul clara e com iluminação embutida.

Piscina revestida em pastilha de vidro azul escura e borda em mármore claro. Projeto de Luciano Graber.

Piscina  grande + hidromassagem com bordas inclinadas em mármore Bege Bahia bruto, o mesmo usado no piso.

Piscina revestida em pastilhas de vidro azuis, com borda infinita + prainha + spa de hidromassagem. Borda em mármore apicoado. Projeto Selma Tammaro.

Piscina grande com borda infinita e degraus com 3 tons de pastilha. A natureza está integrada ao projeto trazendo leveza. Projeto Benedito Abbud.

Piscina revestida em pastilha cerâmica, com vários degraus e paisagismo integrado. A borda possui uma grelha bem fininha para facilitar o escoamento da água.

Piscina que se confunde com a mata. Tem borda infinita e foi revestida com com pastilhas verdes. Projeto Ricardo Ferri.

# Dica! O melhor momento para construir uma piscina é na estação do frio, por conta dos preços e dos prazos. Organize-se!!!

Fonte de pesquisa: Casa Cláudia Julho 2010 / Arquitetura e Construção (várias) / site casa

CONTINUA AQUI





Fachadas de casas com telhado aparente
Postado Por - 09 de novembro de 2010

O telhado aparente é o tipo mais tradicional de cobertura de casas, e muitas vezes é o grande diferencial da fachada. O desenho e o tipo da telha utilizada podem definir o estilo da construção – moderno, colonial, chalé, casa de praia…

Outro elemento definidor de estilo é o beiral, serve de proteção, evitando que a água da chuva escorra diretamente pelas paredes da fachada, além de sombrear e proteger passagens da chuva. O ideal é colocar uma calha ao longo do beiral, para canalizar a água para um lugar só.

As inclinações mais comuns são em 2 ou 4 águas (faces do telhado), mas existem telhados inclinados para um lado só ou para vários. As telhas mais utilizadas são as de barro, também chamadas coloniais, ou de concreto, que exigem uma inclinação mínima de 30%. Deve-se verificar com o fabricante a inclinação correta do telhado de acordo com o tipo de telha a ser adotado.

Segue uma seleção de casas bonitas e inspiradoras, todas com telhado aparente!

Nº 1 – A fachada tem linhas retas, esquadrias brancas e pintura clarinha. O telhado tem várias águas, com telha bege. Projeto Noemi Pizzotti e Ernesto Pizzotti, foto revista Casa e Jardim.

Nº 2 – Fachada do fundo de uma imponente casa com linhas retas e cores claras. O telhado tem calha embutida e acabamento com frisos; o superior tem duas águas e o inferior, várias. Destaque para a iluminação que deixou o projeto ainda mais bonito! Projeto Carolina Brito e Larissa Dias, foto Clausem Bonifácio.

Nº 3 – Casa toda branca com fachada bem trabalhada. O corpo da casa tem telhado em duas águas com calha embutida. Alguns volumes possuem formas retas, sem telhado aparente. Projeto Denise Zuba, foto do site da arquiteta.


Nº 4 – Casa com estrutura em aço, com extensos panos de vidro e acabamentos claros. O pé-direito duplo deu a impressão do telhado ser menos inclinado. Projeto Gerson Castelo Branco, foto revista Casa e Jardim.

Nº 5 – O telhado tem várias águas e o beiral é forrado e tem pintura branca. As fachadas impressionam, principalmente a do fundo com a piscina e iluminação. Projeto Denise Zuba, foto do site da arquiteta.

Nº 6 – Fachada bem recortada e com vários telhados. Aqui o beiral tem um acabamento bem alto, uns 40cm. Não sei de quem é o projeto, foto do site Almir Filho.

Nº 7 – Casa de praia com estilo mais rústico, com estrutura em madeira aparente e telha também em madeira. Este tipo de telha é pouco usada no Brasil e possui inclinação e instalação diferentes das telhas de barro convencionais. Projeto David Bastos, foto do site do arquiteto.

Nº 8 – Casa de fazenda em estilo rústico com estrutura em madeira e telha de barro. Projeto Ana Paula Barros, fotos do site da arquiteta.

  • Depois do post das Fachadas de casas sem telhado, começamos a procura pelas casas com telhado aparente. Foi difícil encontrar boas fotos da fachada da frente, a maioria dos projetos mostram as fachadas do fundo – não consideramos as maquetes eletrônicas (perspectivas). Diante disso, percebemos que o tipo de fachada mais usado atualmente é o sem telhado, pois procuramos em várias revistas e sites de arquitetos conceituados e a maioria era sem telhado aparente, em diversos estilos e tamanhos. Não quer dizer que não está se usando,  só não conseguimos boas referências.

Veja também:  + projetos de casas+ fachadas / CUSTOS: casa com telhado X casa sem telhado






Diariamente, recebemos vários comentários e emails pedindo dicas ou soluções para algum detalhe específico. Tentamos responder à maioria, mas é impossível atender a todos imediatamente. Então, se você deixou algum recadinho por aqui, ele será respondido ou um post será feito pra deixar tudo bem explicado!