Arquivo para Belo Horizonte - assim eu gosto: decoração e arquitetura
Apartamento em Belo Horizonte (170m²)
Postado Por - 21 de março de 2011

Esse apartamento de 170m² em Belo Horizonte foi projetado para uma jovem família que queria praticidade, conforto e sofisticação, tando para o dia-a-dia como na hora de receber os amigos. Gosto muito quando a decoração tem um conceito, não é simplesmente uma disposição de móveis no ambiente. Aqui os espaços foram muito bem aproveitados e a integração entre os ambientes foi pensada e harmonizada.

A sala, como é muito comum hoje em dia, abriga as funções de estar, jantar e home theater. Reforçando essa integração, um painel de madeira com um aparador suspenso, ocupa toda a parede, dando continuidade aos ambientes. Gosto muito dessa ideia! O desenho do aparador é bem neutro e disfarça as portas, mas dá pra guardar um monte de coisas.

A decoração é neutra e despojada, com móveis modernos e confortáveis.  Para que fosse possível abrigar o home theater a cortina de linho recebeu um blackout.  A iluminação é intimista e contribui para o clima de aconchego.

O aparador aqui serve como apoio à sala de jantar. Adorei a mesa em vidro italiano branco, bem moderna, contrastando com as cadeiras com pés palito e capa de linho, mais despojadas. Ao fundo um armário com portas de correr em laca branca funciona como louceiro.

Na primeira foto o detalhe da capa das cadeiras fechada com botões. Bem linda! / Na segunda foto a varanda, que é ampla e serve como uma extensão da sala.

Projeto Andrea Fragoso e Tina Filizzola.Fotos: revista Casa Mix

+ projetos de apartamentos





Casa Cor Minas Gerais
Postado Por - 30 de agosto de 2010

Semana passada inaugurou em Belo Horizonte a 16ª edição da Casa Cor Minas Gerais. A mostra acontece no edifício  no Edifício Arcelor Mittal, na Avenida João Pinheiro,até o dia 05 de outubro. São 58 ambientes, projetados por arquitetos, designers de interiores e paisagistas, sob o tema “Sua Casa, Sua Vida Mais Sustentável e Feliz”, o mesmo dos outros eventos que já aconteceram esse ano. Não tivemos a oportunidade de visitar pessoalmente, mas pelas fotos, achei os ambientes, em geral, muito bonitos e aconchegantes, focados em conforto e qualidade de vida. Percebi também um certo clima retrô, com muito móveis e referências dos anos 50.

Estar da Mulher, da arquiteta e designer Christianne Taranto. Adorei o painel de madeira natural lavada, sem acabamento. A combinação dele com as cores neutras e tecidos naturais, como o linho, cria um clima de refúgio e relaxamento. Lindo lindo!

Escritório do Publicitário, criado pela arquiteta Ana Carolina Mato. Gosto da combinação de cores, e principalmente da bancada em Corian amarelo, compondo com as cores alegres das gravuras de Pop Art.

Lounge, criado pela arquiteta e designer de interiores Beatriz Siqueira. O espaço tem a base escura, que contrapõe com peças de decoração claras e coloridas. Um painel em treliça de madeira deixa o ambiente mais aconchegante.

Sala de Banho, da decoradora Dênia Diniz. Adoro banheiros assim, amplos e claros! O piso e as paredes foram revestidos com porcelanato na cor gelo. Atrás da bancada, que é de Magic Stone, a parede foi revestida com um revestimento cerâmico madrepérola.

Home Cinema, da arquiteta Flávia Roscoe. O espaço foi decorado com móveis das décadas de 40 e 50, contrapondo com peças atuais.

Quarto do Bebê, criado pelas designers Jane Cabral e Sônia Melo. A base do quarto é toda branca, com toques de ouro velho e tons pastéis. Peças de design assinado, como o painel de vidro do designer italiano Phillipe Stark, atrás do berço, e os nichos de espelho de Jacqueline Terpins, atrás da bancada, contrastam com o berço de desenho clássico. Lindo!

Loft do Bon Vivant, da arquiteta Gláucia Brito. Ambiente lindo, com cores neutras iluminação indireta e inspiração nas décadas de 40 e 50, muito aconchegante!

Sala de Estudos do Diretor, criada pelas arquitetas Juliana Cavalcante e Natacha Nascif, em homenagem ao diretor mineiro Gilberto Scarpa. Gostei muito da estante, executada com painéis Eucatex em laca bege, que abriga livros e prêmios. O pendente, iluminando a mesa, é uma peça de destaque, linda!

Sala de Almoço, da designer Laís Albergaria. Ambiente em tons de bege e madeira, com o contraste do jardim suspenso. O conjunto de pendentes cobre é moderno e muito bonito.

Quarto da Jovem Designer, criado por Danielle Bellini, designer de interiores, e Luis Gustavo Bellini, arquiteto.  A decoração é sóbria e sofisticada, com destaque para a iluminação, bem acochegante.

Loft do Chef, assinado pela arquiteta Márcia Carvalhaes. Materiais naturais e cores bege e marrom, compõem a decoração. O painel em madeira Lyptus com iluminação indireta, envolve todo o espaço, criando uma unidade entre os ambientes.

Loft 500, do arquiteto Pedro Lázaro. O espaço reúne cozinha gourmet, garagem, salas de jantar, estar e leitura, com inspiração nos espaços modernistas dos anos 50.

Quarto do Jovem Empreendedor, projetado pela arquiteta Renata Basques. Adorei esse modelo de cama, bem grande e estofada com algodão reciclado.

Fotos via Casa e Imóvel.

Veja também: Casa Cor Paraná, Casa Cor São Paulo, Casa Cor Goiás, Casa Cor Santa Catarina.

Em breve: Casa Cor Rio de Janeiro e Casa Cor Brasília.





Igrejas surpreendentes
Postado Por - 04 de abril de 2010

Para celebrar a Páscoa, trouxemos uma seleção de igrejas surpreendentes, seja pela sua arquitetura, localização, grandiosidade ou pela sua história. As Igrejas representam um lugar de reunião e expressão da fé cristã, onde a arquitetura tem o desafio de expressar essa fé e apresentá-la ao mundo, além de acolher a comunidade cristã, representando seu local de reflexão, recolhimento e louvor a Deus.

A Catedral Metropolitana Nossa Senhora Aparecida, em Brasília, foi inaugurada em 1970. Projetada por Oscar Niemeyer, tem uma área circular da qual se elevam 16 colunas de concreto. Possui uma estrutura singular e audaz que mostra a genialidade do arquiteto e o caráter inovador do calculista, Joaquim Cardoso. O conjunto é pontuado por diversas obras de arte. Já na praça de acesso ao templo, encontram-se quatro esculturas em bronze representando os evangelistas. No interior da nave, estão as esculturas de três anjos, suspensos por cabos de aço, de Alfredo Ceschiatti, com a colaboração de Dante Croce. No batistério, um painel em lajotas cerâmicas pintadas por Athos Bulcão. O campanário doado pela Espanha, composto por quatro grandes sinos, completa o conjunto arquitetônico. A entrada faz-se através de uma área de paredes negras tida como zona de meditação. O interior é banhado por luz natural filtrada pelos vitrais coloridos de Marianne Peretti e lá vê-se a “Anunciação a Maria”, também de Athos Bulcão, a Via Sacra de Di Cavalcanti e a primeira réplica da Pietá de Michelangelo, feita de mármore e resina. Mesmo passando por ela todos os dias, ainda me surpreendo com essa estrutura magnífica!

O Templo Expiatório da Sagrada Família, também conhecido simplesmente como Sagrada Família, é um grande templo católico da cidade catalã de Barcelona, na Espanha. Desenhado pelo arquiteto catalão Antoni Gaudí, é considerado por muitos críticos como a sua obra-prima e expoente da arquitetura modernista catalã. O projeto foi iniciado em 1882 e assumido por Gaudí em 1883, que dedicou seus últimos 40 anos de vida a essa construção. Não se estima a conclusão para antes de 2026, centenário da morte de Gaudí. No início em estilo neogótico, o projeto foi reformulado completamente por Gaudí, sendo composto por três grandes fachadas: a Fachada da Natividade, quase finalizada com Gaudí ainda em vida, a Fachada da Paixão, iniciada em 1952, e a Fachada da Glória, ainda por completar. Segundo o seu proceder habitual, a partir de esboços gerais do edifício Gaudí improvisou a construção à medida que esta avançava. Além das formas excêntricas, típicas de Gaudi, essa igreja surpreende pela história de sua construção.

Igreja do Jubileu em Roma, na Itália, foi projetada em 1996, pelo arquiteto Richard Meier. Os volumes e formas são responsáveis pela clara distinção de funções. A área sacra caracteriza-se pelas curvas e abriga nave principal, capela, confessionários e altares. Ao norte, a porção profana – que se destina ao centro comunitário e à residência do pároco – revela o predomínio das linhas retas. As curvas do espaço sacro são formadas por círculos deslocados que se materializam em conchas de concreto protendido moldadas in loco, revestidas com mármore travertino. São três curvas, que, segundo o arquiteto, fazem discreta alusão à Santíssima Trindade. Os intervalos entre as conchas são vedados por caixilhos e vidros que permitem a entrada de luz natural no templo. Dessa forma, de acordo com a estação do ano, o tempo, a hora e a intensidade de luz, modifica-se a percepção do espaço. As paredes são de cimento especial com dióxido de titânio que ajuda na despoluição do ar.

 A Catedral de S.Basílio, localizada na Praça Vermelha, em Moscou, pertencente à Igreja Ortodoxa Russa. Sua construção foi ordenada pelo Czar Ivan, o Terrível, para comemorar a conquista do Cantão de Kazan, que realizou entre 1555 a 1561. Em 1588 o Czar Fiodor Ivanovich ordenou que se agregasse uma nova capela no lado leste da construção, sobre a tumba de São Basílio, o Bendito, santo por cujo nome foi chamada popularmente a catedral. São Basílio se encontra no extremo sudeste da Praça Vermelha, justamente na frente da Torre Spasskaya de Kremlin. Sendo não muito grande, consiste de 9 pequenas capelas. O conceito inicial era construir um grupo de capelas, cada uma dedicada a cada um dos santos em cujo dia o Czar ganhou uma batalha, mas a construção de uma torre central unifica estes espaços em uma só catedral. A lenda fala que o Czar Ivan deixou cego o arquiteto Postnik Yakovlev, para evitar que construísse uma outra construção tão magnífica! Ai se essa moda pega…

A Capela Notre-Dame-du-Haut de Ronchamp, na França, foi projetada pelo arquiteto Le Corbusier, considerado um dos mais importantes do século XX. As janelas nas paredes espessas e curvas deixam entrar uma luz fraca e indireta. A arquitetura fina e curvilínea da capela é surpreendente pelo que se via de Le Corbusier, um arquiteto racionalista que acreditava apenas no ângulo reto. A capela é repleta de contradições arquitetônicas, ao mesmo tempo quadrada e redonda, alongada e contida, baixa e alta. Por esta contradição à arquitetura de linhas retas de Corbusier e ao fato de este ser ateu, a capela de Ronchamp foi uma das obras que causaram mais polêmica e dificuldade de assimilação pela crítica, tanto por parte dos arquitetos quanto pelo público.

Catedral de Nossa Senhora de Las Lajas, no município de Ipiales, Colômbia. Construída entre 1916 e 1949 sobre dois arcos, no rio Canyon Guaitara, é considerada uma das maravilhas da Colômbia. Segundo a lenda, este foi o lugar onde uma mulher indiana chamada María Mueses de Quiñones estava levando sua filha surda-muda Rosa de costas perto de Las Lajas ( “The Rocks”). Cansada da subida, Maria sentou-se sobre uma rocha, quando Rosa falou (pela primeira vez) sobre uma aparição em uma caverna. Mais tarde, uma misteriosa pintura da Virgem Maria carregando um bebê foi encontrada na parede da caverna. Os estudos sobre a pintura não mostraram nenhuma prova de tinta ou pigmentos na rocha – em vez disso, quando uma amostra de núcleo foi tomada, apurou-se que as cores foram impregnados na própria rocha a uma profundidade de vários metros. Verdade ou não, a lenda estimulou a construção desta maravilhosa igreja. Além da lenda, sua localização é impressionante.

A Igreja de Nossa Senhora de Fátima, em Brasília, conhecida como Igrejinha, foi o primeiro templo construído em alvenaria na nova capital. Com projeto de Oscar Niemeyer, sua arquitetura faz referência a um chapéu de freiras. Em seu interior e na fachada encontram-se azulejos de Athos Bulcão. Originalmente a parede ao fundo do altar comportava afrescos com bandeirolas e anjos de Alfredo Volpi, mas eles foram cobertos por tinta em uma reforma ocorrida na década de 60. Atualmente a Igrejinha recebeu uma nova pintura, feita por Francisco Galeno. A santa no centro do altar é Nossa Senhora de Fátima, sem rosto. Pipas e flores foram criadas para representar a alegria das crianças que teriam avistado a Virgem Maria em Fátima, Portugal. A Igrejinha, que comporta apenas 60 pessoas, foi tombada pela UNESCO como patrimônio cultural. Adoro a forma, as cores e o ambiente aconchegante dessa verdadeira obra de arte, simples, suscinta e bela!

A Igreja de São Francisco em Salvador faz  parte do convento dos franciscanos. Foi concluída em 1723 e é considerada um dos mais extraordinários monumentos do barroco em todo o mundo. É preciosa pela exuberante decoração interna, folhada em ouro, com entalhes em jacarandá, florões, frisos, arcos, figuras de anjos e pássaros espalhados em vários pontos, além de painéis em azulejos portugueses, retratando cenas da vida de S. Francisco.

Harajuku Church é uma futurista igreja protestante e está localizada em Tóquio. Foi projetada pela empresa de design de Criação Ciel Rouge em 2005. O teto é feito especialmente para reverberar o som natural de 2 segundos para fornecer uma experiência de audição única para fiéis. Rasgos no teto controlam a entrada da iluminação natural e criam um lindo desenho.

Catedral de Nossa Senhora da Glória, em Maringá, no Estado do Paraná, é a mais alta catedral da América Latina. Foi inspirada e idealizada na era dos “spoutiniks” (a palavra “poustinikki” designa o peregrino que se afasta do mundo para ficar mais perto de Deus). De forma cônica, possui um diâmetro de 50 metros e uma nave única. Representa uma arquitetura moderna e arrojada, idealizada por D.Jaime Luiz Coelho e projetada pelo arquiteto José Augusto Bellucci. O cone possui uma altura externa de 114 m, sustentando uma cruz de 10 m. Tem capacidade para abrigar 4.700 pessoas. É linda e um dos mais belos cartões postais do Paraná!

 A Igreja São Francisco de Assis da Pampulha, em Belo Horizonte, foi inaugurada em 1943 e é mais uma obra de arte de Oscar Niemeyer, com cálculo estrutural de Joaquim Cardoso, sendo considerada a obra-prima do Conjunto Arquitetônico da Pampulha. Neste projeto, Oscar Niemeyer faz novos experimentos em concreto armado, abandonando a laje sob pilotis e criando uma abóbada parabólica, até então só utilizada em hangares. A abóbada na capela da Pampulha seria ao mesmo estrutura e fechamento, eliminando a necessidade de alvenarias. Inicia aquilo que seria a diretriz de toda a sua obra: uma arquitetura onde será preponderante a plasticidade da estrutura de concreto armado, em formas ousadas, inusitadas e marcantes.  Decorando o exterior da Igreja há na fachada um painel de azulejos, em tons azuis, de autoria de Cândido Portinari (1903-1962), em homenagem a São Francisco de Assis, o Santo protetor dos animais. Aqui me encanta, além do desenho externo, seu interior minimalista!

 O Santuário Dom Bosco, em Brasília, foi projetado por Carlos Alberto Naves. São 80 colunas em Brise-Soleil com 16 m de altura fechando em estilo gótico, com vitrais em 12 tonalidades de azul, simbolizando um céu estrelado. No teto, desenhos de Carlos Alberto Naves, o lustre central de Alvimar Moreira contém 7.400 copos de vidro Murano e 180 lâmpadas e pesa 2.600 kg. O Cristo de 4,30 m de altura foi esculpido por Gotfredo Traller.

É claro que existem muitas outras igrejas tão ou mais impressionantes que essas. Se formos falar da Itália ou das cidades coloniais mineiras precisaríamos de um blog inteiramente dedicado a isso. De fato, é um tema fascinante e não faltarão oportunidades para mostrarmos aqui!

Imagens: Google Images. Dados: wikipedia.






Diariamente, recebemos vários comentários e emails pedindo dicas ou soluções para algum detalhe específico. Tentamos responder à maioria, mas é impossível atender a todos imediatamente. Então, se você deixou algum recadinho por aqui, ele será respondido ou um post será feito pra deixar tudo bem explicado!