Madeira ripada

Madeira ripada é um caso de amor! ♥ Pode ser usada em todos os ambientes, sejam eles grandes ou pequenos, residenciais ou comerciais, internos ou externos (fachadas, portas e portões). É bonita, atemporal, permite vários desenhos e pode ser de diversas cores (depende do tom da madeira escolhida).

Para quem também ama madeira e quer um painel em casa, vale lembrar:

Tipos de madeira

A madeira natural é o material que garante o melhor resultado final para um painel ripado. As mais usadas são: Freijó, Cumaru e Imbuia. As madeira mais avermelhadas, como o Ipê e o Mogno, quase não são usadas hoje em dia.

Por serem de madeiras nobres, o custo de um painel ripado é alto. Sem considerar a mão de obra, que também deve ser qualificada para um bom resultado.

O painel ripado até pode ser feito de mdf laminado de madeira ou compensado naval, mas as quinas das ripas ficarão evidentes no acabamento. Funcionam, mas na minha opinião, não são os mais lindos.

Cuidado! Madeiras muito moles podem trabalhar e modificar o desenho do painel – quanto mais clara ela for, mais frágil.

Acabamentos

O acabamento mais atual para a madeira ripada é feito com selador fosco ou acetinado (com pouco brilho, no máximo 40%). Para ambientes externos, o ideal é usar verniz fosco ou acetinado.

Tamanho das ripas

Os desenhos do ripado podem variar bastante. O que os diferencia são a largura da ripa e a largura/profundidade do friso, conforme o desenho acima.

No painel 1: a largura da ripa é de 2cm + friso de 0,5cm + profundidade de 0,5cm. No painel 2: a largura da ripa é de 3,5cm + friso de 0,5cm + profundidade de 0,5cm. No painel 3: a largura da ripa é de 2cm + friso de 2cm + profundidade de 1cm.

Atualmente, essas são as proporções que mais vejo e detalho nos projetos. Claro que não é uma regra, apenas uma observação. Tanto que nas fotos abaixo, veremos painéis com medidas variadas.

Se a opção for com ripas bem finas, vale prestar atenção para a escolha da madeira, que deve ser mais “dura”. Senão o painel pode trabalhar!

Cuidado! A proporção das ripas tem que ser observada: frisos muito finos e profundos são complicados para limpar, especialmente em áreas externas, podendo acumular bichos.

Exemplos de painéis lindos!

Sala com painel ripado na parede em “L”, acho que é de madeira freijó. Adorei o piso de ladrilho hidráulico! Observem que onde tem painel não precisa ter rodapé. Projeto Triplex Arquitetura.

Sala de jantar com painel ripado + nicho de mármore travertino. Vejam que a madeira ripada foi usada para uniformizar/disfarçar paredes, portas e armários, tudo com o mesmo acabamento e formando um grande painel – amo esse recurso! Projeto Débora Roig.

Quarto com cabeceira de madeira ripada + iluminação embutida no gesso. Lindo! Esses dias fiz um post com várias cabeceiras de madeira – veja aqui.


Sala de espera com painel ripado + paredes de cimento queimado + piso de pedra natural. Vejam como ficou interessante o quadro pendurado sobre o painel! Projeto Renata Dutra.

Escritório corporativo com painel ripado de madeira escura + iluminação direcionada (destacando o desenho da madeira) + piso e balcão de madeira.

Que tal a madeira ripada no teto? Uaaau!!! Casa linda e moderna, com teto de madeira + piso de mármore e detalhes de cimento queimado. Projeto Studio MK27  (Márcio Kogan e Renata Furlanetto). Fotografia Fernando Guerra.

 

By |2018-11-12T15:43:49+00:00agosto 27th, 2017|Arquitetura|6 Comments

Como definir a entrada da casa

Como definir a entrada da casa é um grande desafio, pois devemos considerar uma lista de fatores que devem funcionar em harmonia: o estilo da casa e da porta de entrada, o tipo de muro/portão, o piso externo (calçada) e o interno (hall de entrada), o jardim, a iluminação, a funcionalidade, a estética,… Dá um trabalhão! Por isso, resolvi selecionar algumas entradas de casas, cuja junção desses fatores foi bem resolvida.

piso entrada casa escada iluminacao

1- Casa com desnível e 3 tipo de piso: granito com iluminação embutida na escada + pedra cinza na garagem + grama perto do muro. A porta de entrada e o portão da garagem são de madeira ripada e o muro é todo revestido de pedra portuguesa vermelha. Projeto Ivana Cabral.

piso da entrada de casas

2- Casa moderna com fachada formada por brises verticais de madeira + entrada com espelho d’água e piso de pedra escura (pode ser um granito preto lixado), que formam um caminho irregular, com peças de tamanhos diferentes que parecem flutuar na água. Que efeito mais lindo! Projeto Pitsou Kedem.

3- Fachada de madeira ripada + entrada com piso de mármore travertino + iluminação marcando o caminho até a porta e destacando o paisagismo. Amo esse recurso de colocar as luminárias no piso e dos dois lados do caminho de entrada, uso muito nos meus projetos. Projeto Fernanda Marques. Foto Demian Golovaty.

4- Aqui a entrada da casa fica próxima da área de lazer, com piso formado por vários blocos de cimento queimado, que tem tamanhos e alturas diferentes, contrastando com a madeira das esquadrias. Olha o efeito desse pórtico de entrada com marquise em balanço! Projeto Elouardighi Mounir.

5- Fachada de mármore travertino + madeira escura + iluminação caprichada. O piso da entrada da casa (e acho que a garagem também) segue o mesmo padrão dos acabamentos das paredes, o que deixa o projeto ainda mais bonito e elegante. Projeto Elaine Zanon e Cláudia Machado.

6- Casa clarinha, com fachada revestida de mármore + piso no mesmo material + porta de entrada suntuosa, que além do pé direito duplo, tem os portais bem largos. Projeto Babi Teixeira. / 7- Porta de entrada branca + degraus soltos com piso de mármore ou granito (pode ser um granito branco acinzentado sem polimento).

8-Uau, que casa linda!A escada chama atenção por seus vários detalhes: degraus irregulares de pedra branca (ou seria cimento queimado?) que se espalham sobre o jardim e formam até uma área de espera (com banco de madeira) + iluminação embutida embaixo do degrau e ponto de led nos cantos superiores. A fachada tem parede de cimento queimado, madeira ripada e vidro. O jardim também merece destaque, super bonito! Projeto Leonardo Pascual. Foto Denilson Machado.

9- Entrada com piso de pedra e grama intercalada + iluminação com postinhos + jardim bem trabalhado. A porta pivotante de madeira é enorme e tem detalhe interessante na abertura, linda! Projeto Daniel Moura. Foto Fellipe Lima.

10- Entrada irregular, com piso claro de pedra + fonte nas duas laterais (acho chique!) + porta de madeira e vidro + pórtico de tijolinhos. Paisagismo Roberto Riscala.

Dicas!

-O piso mais nobre deve ser o da entrada de pedestre, caso você decida usar mais de um tipo de piso. Ele deve combinar com o piso do hall, por isso é comum o uso de mármores com acabamento rústico, tipo mármore travertino bruto.

– Uma ótima opção para o piso da entrada da casa é o granito sem polimento (levigado, apicoado, lixado), que fica bonito, nobre e é antiderrapante, sem ter o alto custo do mármore.

*Também vale dar uma olhadinha nos nossos posts sobre fachadas, portas de entrada e muros. Além das sugestões de piso para área externa.

 

Gostaram do post? Que outro tema gostariam de ver por aqui?

By |2018-11-12T14:00:22+00:00agosto 14th, 2017|Arquitetura|1 Comment

Tijolo aparente – como escolher o seu

—–> continuação dos posts Tijolo Aparente (1) e Tijolo Aparente (2)

O tijolo aparente é assunto recorrente por aqui, já falamos várias vezes e ele continua atual, sendo uma excelente opção de revestimento. A cada ano as marcas investem em novidades, aumentando a variedade e “dificultando” a nossa escolha. São tantos tão lindos, qual é o nome desse que eu gostei?!

Para facilitar, fiz uma lista com as opções que costumo indicar para os meus clientes. São produtos maravilhosos, todos top de linha! 😉 Se tiverem mais sugestões, podem indicar que incluo no post, ok?

Lembrando que o tijolo aparente original depende da estrutura da casa e de como as paredes foram construídas. Se os tijolos existentes estiverem bem conservados, tem que ver a melhor forma de reaproveitá-los (falamos aqui). Já os tijolos artesanais são as opções que vou mostrar, podem ser de argila, cerâmica ou outros materiais e terem o mesmo aspecto do tijolo original.

Projeto Ana Rita Sousa e Silva.

ALGUMAS MARCAS E SUAS OPÇÕES

* Todas as empresas oferecem variedades de cores, acabamentos e tamanhos.

* Podem ser usados em ambientes internos e externos (muros e fachadas).

* As peças têm medidas de aproximadamente 7x22cm. A espessura geralmente é de 1cm, o que facilita a instalação.

* O tipo de assentamento mais atual é o com junta seca, ou seja, as peças são instaladas bem próximas uma da outra (com juntas mínimas em torno de 2mm) e ficam sem rejunte.

* Se o acabamento for de barro, o ideal é passar algum selador depois de finalizada a instalação, para evitar que soltem pó.

* A iluminação interfere na cor real do tijolo, confira o produto pessoalmente antes da sua escolha final. Dica: a luz quente deixa o efeito do tijolinho ainda mais bonito!

* Para mais informações e locais de venda, coloquei o site de todas as marcas junto com as descrições.

*Brick Studio – tijolos feitos de argila e cerâmica, com 12 cores diferentes. Dentre os mais parecidos com o tijolinho convencional estão: Morocco (é um dos mais usados da marca) e Grand Canyon (um pouco mais avermelhado). Mais informações aqui.

Projetos: Eliane Cardoso e Fernanda Gonçalves/ casa em Tatuí- SP/ sala 707 Arquitetura.

*Lepri – tijolos feitos de cerâmica e materiais sustentáveis, como resíduos de lâmpadas fluorescentes e louças. Acho que é a empresa com a maior variedade, com peças que reproduzem desde os tijolos clássicos ingleses até os de demolição. A linha Brick tem 7 categorias diferentes: Mattone, Contemporâneo, Anticatto, Natura, Torrone, Tradizzionalle e Marmo. Dentre os mais parecidos com o tijolinho convencional estão: Brick Mattone Rosso e Brick Contemporâneo Terracota. Mais informações aqui.

Projetos: sala Renata Lemos/ sala Jóia Bérgamo/ as duas salas de jantar por Meyer Cortez Arquitetura/ cozinha Adriana Giacometti.

*Palimanan – tijolos feitos de barro. A Coleção Tijolos tem 11 categorias diferentes e os mais parecidos com o tijolinho convencional são: Inglês Duet (um dos mais populares da marca), Provence Marceille e Rockface Colorado (esse é mais rústico). Mais informações aqui.

Projetos: jantar Duda Porto/ sala tv Zai Arquitetura/ sala tv GF Projetos/ bebê Daniela Schimitt / quarto Paola Ribeiro / churrasqueira Maria Antônia Castro.

*Pasinato – tijolos feitos de cerâmica natural, com mesclas de diferentes tonalidades. Na linha Trend Stone, as peças mais parecidas com o tijolinho convencional são: Vulcano Brick Stromboli (que é mesclado) e Vulcano Brick Vesúvio. Mais informações aqui.

Projetos: sala Melissa Colle/ sala Taíssa Carvalho/ sala de jantar Drops Arquitetura .

*Passeio – tijolos feitos de barro, o autêntico tijolinho. Tem dois tipos de acabamento nas bordas: Brique (mais rústico, que pode ser usado com o rejunte de 1cm, bem convencional) e Brique Lisser (com borda lisa). Dentre as várias colorações disponíveis, que podem ser mescladas, o Puro (tom natural do tijolo) e o Terracota (um pouco mais claro e menos vermelho) são os mais parecidos com o tijolinho convencional. A marca tem também o tijolo de tamanho grande. Mais informações aqui.

Projetos: sala Denis Resende/ sala tv Cyntia Sabat/ Rio Arquitetura/ Cristiane Maciel e Sony Luczyszyn.

*Portobello – tijolos feitos de cerâmica, com acabamento mais polido. Dentre os mais parecidos com o tijolinho convencional estão: Brit Abbey Road (peças de cores irregulares), Terracotta Di Bologna e Terracota Muro TramontoMais informações aqui.

Na segunda foto, projeto Beto Gebara e Marila Filártiga.

*Santa Luzia – tijolos feitos de poliuretano reciclado (tipo isopor), super leves. Com 14 opções de cores, os mais parecidos com o tijolinho convencional são: Ecobrick Terracota (mais claro) e Ecobrick Tijolo Envelhecido (mais escuro). Mais informações aqui.

Projeto: Cyntia Queiroz/ fachada Flávio Melo.

*Papel de parede tipo tijolinho – é a maneira mais prática de ter uma parede de tijolinho, mas a menos bonita, na minha opinião. Diante de todas essas marcas que citei, nenhum papel consegue dar o mesmo efeito – pelo menos os que eu conheço (mas aceito sugestões!). Não tenho um álbum específico para indicar, dei um Google e seguem os meus preferidos: 1  2  3  (na ordem da foto, não vi nenhum pessoalmente).

.

Gostaram do post? Que outro material vocês gostariam de ver por aqui?

.

+ dicas de materiais e revestimentos aqui

By |2018-11-12T16:13:06+00:00fevereiro 6th, 2017|Arquitetura|9 Comments